Lifestyle Recomendações

Gêneros literários que mais gosto de ler

gêneros literários

Você já reparou o que mais gosta de encontrar nos livros que compra? Existem alguns gêneros literários que se tornam nossos queridinhos, mas por quê? No post de hoje quero falar sobre os meus gêneros literários favoritos e o motivo de gostar deles.

Compartilhar informações pode nos fazer refletir sobre nossos comportamentos. Então, quero contar á vocês quais os gêneros literários que eu mais gosto de ler, e o motivo.

Talvez isso faça parte do meu processo inconsciente que já comentei aqui no blog, mas quero aprofundar ainda mais o assunto.

Gênero #1 – Romances regenciais

Sou apaixonada por romances regenciais.

Se você não sabe o que é esse gênero, basicamente trata-se de romances que ocorrem no período da regência Inglesa. Essa época também é conhecida como vitoriana, onde quem estava no trono da Inglaterra por volta do século XVII e XVIII era a rainha Vitória.

Foi nessa época que escritoras como Jane Austen se tornaram bastante conhecidos por narrar romances.

Para nós, pessoas modernas, o romance regencial acaba sendo algo bem fantasioso. Justamente por existir regras tão diferentes das que temos atualmente. Pessoas com títulos de nobrezas, mulheres buscando apenas casamentos com homens ricos e de boas posses, sem falar na própria medicina que não era tão desenvolvida.

Tudo isso torna o romance regencial em uma aventura. Principalmente por conta das etiquetas. Autoras modernas como Julia Quinn e Lisa Keyplas exploram bastante a quebra das regras de etiqueta, quando temos o casal principal no maior fogo antes do casamento.

E sabemos que naquela época, o sexo antes do casamento não era algo bem visto. Principalmente para as mulheres, enquanto que os homens ganhariam a fama de libertino. Ou seja, o homem poderia ter uma vida sexual ativa, mas a mulher não.

Só que há uma grande diferença entre os livros modernos e os que foram escritos nessa época. No caso de Jane Austen temos outros assuntos explorados pelas mulheres, e o romance acaba sendo diferente do esperado.


Leia também: Os Bridgerton | Razão e Sensibilidade | Orgulho e Preconceito de Jane Austen


Gênero #2 – Romances escolares

Esse é um gênero da qual tomo muito cuidado na hora de escolher um título para ler.

O romance escolar que explora a cultura americana é insuportável para mim. Isso porque costumam abordar relacionamentos tóxicos, onde um protagonista é certinho e o outro é errado alá rebelde. Um desdenha o outro, há a falta de respeito que depois se torna amor.

Desculpe, para mim isso não funciona mais. Um dia funcionou, já gostei bastante, mas hoje em dia já não consigo dar conta disso.

Então temos um personagem que explora o outro para conseguir o sexo. Ou então temos cenas carregadas de bullying, que chega a ser cansativo de ver. E o ganhador, no primeiro livro há a busca do romance e no segundo há a dúvida e o triangulo amoroso. Se em séries americanas eu não suporto, quem dirá nos livros.

Para somar a tosquice, temos ainda a rivalidade feminina para ganhar a atenção e afeto do gostosão. Não dá.

O tipo de romance escolar que gosto é algo que envolve o inocente, digamos assim. É algo que faz os personagens explorarem seus sentimentos e acabam trilhando o caminho do seu autodesenvolvimento.

Os personagens se empoderam, percebem que precisam mudar, mas não para agradar o outro. Pois é assim que a vida é, nós buscamos evoluir nossa essência.

Diria que esses são romances água com açúcar, e eu amo eles. São clichês, não me dão raiva, e eu fico só amores com os personagens.

Gênero #3 – A fantasia e a aventura

Se tem algo que eu gosto é de livros que envolvem uma aventura e fantasia. O reino da magia, onde os personagens exploram os seus poderes.

E nem irei listar Harry Potter, pois ainda não terminei de ler os livros. Refiro-me á minha amada trilogia do Círculo da autora Nora Roberts.

Não superei o romance desses livros ainda. Inclusive, fiquei com vontade de reler agora.

A questão é que aventura dá a sensação de movimento, então o impacto que tem sobre mim é enorme. É como se eu me sentisse parte daquele movimento em torno do objetivo do protagonista.

Se eu já tenho essa sensação, imagina quando o autor consegue nos guiar bem em sua narrativa. Quando conseguimos nos sentir parte do livro. É o auge, praticamente.

O gênero de fantasia nos permite desligar do mundo moderno e monótono, indo para o imaginário e para a liberdade. Por conta disso podemos sentir aquela vontade de entrar no livro, viver aquela vida.


Leia também: Trilogia do Círculo de Nora Roberts


Gênero #4 – Fanfictions

Por incrível que pareça, algumas fanfics me permitem ter um momento de paz e surtos.

Adoro ler fanfics do Dragon Ball, por exemplo, principalmente do romance entre a Bulma e o Vegeta. Isso porque no anime não temos tantos momentos deles quanto casal (menos no Dragon Ball Super, que temos um Vegeta mais ligado à suas emoções), dando espaço para o pessoal imaginar o que teria feito o casal se aproximar.

O que mais me deixa embasbacada são os autores conseguirem pegar informações do anime e transformá-la em outra história, mantendo a coerência.

Por exemplo, no anime o planeta original dos sayajins não existe mais, porque Freeza explodiu tudo. Mas tem autores que imaginam, “e se o planeta ainda existisse?”.

E eles conseguem reproduzir a cultura do planeta de maneira ímpar, que não destoa daquilo que já sabemos sobre. Então fica algo muito interessante de se ler.

Sem falar no próprio romance, pois alguns autores conseguem reproduzir tanto a Bulma quanto o Vegeta do jeito que conhecemos, ranzinzas e teimosos. Mas a química do casal quando sede aos desejos é sensacional.

Quase que uma vitória de uma partida final da copa do mundo.

O principal motivo de gostar desses gêneros literários

Não tem como negar, eles mexem comigo. Mas isso não motivo o suficiente para que engaje no gênero.

É preciso que mais de um livro do gênero tenha esse efeito em mim, para que eu passe a gostar do gênero em si.

Basicamente o que acaba chamando a atenção é que os livros que eu leio envolvem romance. Eu gosto de ler sobre o apaixonamento, o momento em que os personagens se dão conta de seus sentimentos e como eles pretendem lidar com isso a partir de então.

Cada gênero tem uma forma específica de abordar esse romance. Nos regenciais, costuma ter a negação do desejo, em seguida da aceitação mesmo que o torne algo secreto. Afinal de contas, o código de etiqueta serve como uma superego que impede os personagens de fazer burrada, tornando suas vidas alvo de fofocas.

O gênero de fantasia e aventura trás o romance como parte do novo mundo. O personagem está se descobrindo, conhecendo pessoas novas, explorando o mundo em sua volta. Então o apaixonamento se torna parte desse processo do novo eu.

Os romances escolares já tocam uma parte do eu adolescente. Sair da infância e trilhar o caminho da adulteza, onde tudo muda e é tão estranho que o jovem não consegue lidar com tudo ao mesmo tempo. Ao mesmo tempo que existe a ansiedade em se apaixonar, há uma certa resistência para evitar a frustração.

E quando chega o momento da declaração, é como se chegássemos ao ápice da história. Ficamos felizes.

Ou seja, o motivo de gostar desses gêneros é para alcançar essa ápice.

Conclusão

Concluo aqui que o motivo de eu gostar desses gêneros literários envolve o romance,pois é algo que eu amo. O que há de diferente neles é a forma como esse romance irá se desenvolver.

Eles alimentam algo em mim, que talvez também esteja esperando pelo romance ocorrer.

E você, qual o motivo para consumir os gêneros literários que mais gosta?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Recomendados