Black Clover: analisando enredo do protagonista

black clover analisando o protagonista

Você conseguiria trabalhar o conceito de tudo ou nada em dois protagonista, mantendo um equilíbrio na história? Parece algo absurdo, mas o enredo do anime Black Clover consegue explorar essa filosofia com maestria. Venha conferir a análise do enredo do anime “Black Clover”.

Depois de maratonar os 170 episódios do sucesso shounen, consegui fazer uma análise de enredo do anime “Black Clover”. Foi algo mais filosófico e interessante do que eu imaginava, e consegui, ainda mais, tirar algumas características de enredos que podem ser usadas em narrativas também.

Ficou interessado? Então não irei me demorar. Já deixo avisado que o post contém spoilers. Se você não viu o anime, então não leia. Preciso contar certas informações do enredo para que possam compreender o ponto de minha análise, tudo bem?

Avisado você foi,

Sinopse

A primeira coisa que você deve saber do anime é que a magia é tudo. O mundo é dividido em quatro reinos, simbolizados pelos naipes do baralho, e a história dos personagens principais se passa no reino de Clover.

Nesse anime temos dois personagens principais, um primário e outro secundário. Parece algo estranho, mas foi o que pensei depois de analisar o enredo base do anime. Os personagens em questão são, respectivamente, Asta e Yuno.

“Neste mundo, magia é tudo… A algum tempo atrás, a humanidade foi quase aniquilada pelos demônios… Em seu resgate surgiu aquele que futuramente ficaria conhecido como Mago Imperador, o mais poderoso mago do Reino Clover. Anos depois, sonhando em se tornarem o Mago Imperador, dois órfãos pobres Yuno e Asta fazem uma promessa que um deles alcançaria esse sonho. Yuno é o gênio dentre os dois, reverenciado por todos a sua volta com uma poderosa magia de vento. Asta mesmo se esforçando todos os dias, não possui qualquer magia… Mas tudo muda no dia em que ambos receberiam a prova de que são verdadeiros magos… O dia de receberem seus grimórios!”

Outra característica do anime que é bom sabermos é sobre os esquadrões dos cavaleiros mágicos. Os cavaleiros mágicos seriam aqueles que foram escolhidos para proteger o Reino de Clover de criaturas maléficas, ou de invasões por parte dos outros reinos. Eles são divididos em 8 esquadrões ao todo, e para poder entrar é necessário fazer um teste sob a presença dos capitães de cada esquadrão.

Se a pessoa não for escolhida, ela pode tentar refazer o teste do ano seguinte.

A lenda do trevo e os grimórios

Durante todo o anime, principalmente da metade para o final, torna-se repetitivo a história sobre o trevo (símbolo do naipe de paus, clover em inglês). Em um trevo de 3 folhas encontram-se fé, esperança e amor (se não me engano). A quarta folha de um trevo é sinal de bom agouro, boa sorte, coisinhas boas. A quinta folha de um trevo reside um demônio.

Isso é interessante, pois Yuno consegue o grimório de quatro folhas. Todos ficam surpresos, e logo é falado sobre o grimório ter pertencido ao primeiro Rei Mago da história. Se o Yuno já chamava atenção por causa de sua aparência e poderes, agora tinha mais um item chamativo na sua lista.

Enquanto que o asta, de primeira, não ganhou grimório algum. Faz sentido, pois ele não tem magia. Sendo assim, não há como a energia de um grimório ser atraído para ele. No entanto, em uma situação da qual Asta vivencia faz com que um livro escurecido e velho caia em suas mãos.

De dentro do livro, Asta consegue retirar uma espada que repele e anula magia.

Na capa do livro vemos o trevo de cinco folhas.

Yuno e Asta: dois lados da mesma moeda

Essa foi a melhor hipótese que encontrei sobre os personagens. Sabe a teoria taoísta de Ying e Yang, a luz e sombra? Aqui se aplica. É tudo e nada ao mesmo tempo.

Tudo representado por Yuno, aquele que nasceu com grandes poderes o suficiente para ganhar um grimório de quatro folhas e ser escolhido por uma silfíde para auxiliá-lo nas batalhas. Quando vai fazer o teste para entrar nos cavaleiros mágicos, todos os capitães erguem a mão em convite para que ele entre, sendo que Yuno escolhe o esquadrão considerado mais forte e popular do Reino Clover.

Inclusive, é interessante que o esquadrão da qual Yuno escolhe é cheio de nobres e tem toda a aura de nobreza em torno.

O nada é representado por Asta, aquele que nasceu sem nenhuma magia e ainda conseguiu um grimório de cinco folhas da qual pode retirar espada com anti magia. Aquilo que repele o tudo e a transforma em nada. Quando realiza o teste para entrar nos cavaleiros mágicos, nenhum capitão ergue a mão em convite.

Porém, diante de sua determinação em se tornar um Rei Mago, e de não ter vergonha em ser alvo de risadas e humilhação, Asta chama a atenção do oitavo capitão que o convoca para entrar em seu esquadrão. O esquadrão em questão é o pior de todo Reino Clover, tendo péssima reputação e sendo um espaço para os desajustados.

Qual dos protagonistas acompanhamos em Black Clover

Assistindo ao anime passa a impressão que o verdadeiro protagonista da história seria o Asta, pois acompanhamos suas lutas, e não as de Yuno. Só que isso faz parte dessa teoria.

Como dito anteriormente, Yuno sempre foi considerado um prodígio. Os personagens secundários sempre geram grandes expectativas sobre o rapaz, além de ele ser autodidata. Ou seja, Yuno nunca treina, e consegue ficar forte naturalmente.

Já o Asta não. Ele recebe apenas a descrença e risada daqueles que consideram ridículo de sua motivação. Se somarmos o fato de ele não ter magia com a sua posição social (que é a pior também, e isso Yuno divide com ele), encontramos um personagem bem sedento para ascender.

Não que a motivação de Yuno seja branda, porém ele conquista as coisas com certa facilidade. O Asta batalha muito, enfrenta muitos obstáculos e o crescimento dele se torna um verdadeiro troféu.

Quando vamos contar uma história, o protagonista precisa enfrentar obstáculos para se transformar. Ele muda com o decorrer da história. Mas, principalmente, o protagonista precisa lidar com a falta de algo, para que se torne um desejo e motivação para crescer e se transformar.

O quão chato é você acompanhar a história de um protagonista que conquista tudo com facilidade, não lida com frustração? Sendo assim, Yuno se torna o protagonista secundário que é para nos atentarmos ao protagonista primário Asta, que não tem nada.

Na teoria taoísta, só você sabe que o nada existe porque tem o tudo para comparar. Só conseguimos enxergar o desenvolvimento do Asta porque temos Yuno.

Rivalidade positiva em Black Clover

Esse é um ponto que aparece com muita frequência no anime, e eu considerei interessante. A rivalidade positiva.

É muito comum vermos duas pessoas dividindo a mesma ambição se tornarem rivais. Porém, a rivalidade é negativa, algo que destrói relações por conta da inveja e raiva. No anime Black Clover encontramos um tipo de rivalidade oposta, aquela que faz com que os personagens se desenvolvam.

Yuno e Asta querem ser o Rei Mago, no entanto eles não deixam de ser melhores amigos por isso. Por mais que desejem estar mais forte que o outro, dificilmente os vemos brigando feio no anime. Na verdade, em cenas de luta em que um está prestes a perde, o outro dá um jeito de usar dessa rivalidade para que volte à luta.

Vemos isso logo no primeiro episódio, quando Asta está completamente desmotivado por não ter ganho o seu grimório. Ele se depara, pela primeira vez, com a ideia de jamais ter magia (pois até então, acreditava que viria em algum momento). Vendo seu amigo prestes a ser derrotado, Yuno então encoraja Asta falando que ele precisa se erguer, pois ambos tinham de decidir quem seria Rei Mago.

Esse tipo de rivalidade se estende para vários personagens. No esquadrão dos Touros Negros ( o esquadrão da qual a reputação é horrível, e o Asta entra nela), temos Magma e Luck que sempre estão lutando e sempre buscando se superarem.

Podemos enxergar, então, a rivalidade como uma força externa que motiva o personagem a ficar mais forte.

Motivação de determinação de um protagonista

Outro ponto muito essencial desse anime é a determinação de um personagem. É claro que dentro dos animes isso não é novidade, muitos protagonistas trabalham com determinação, mas aqui em Black Clover ela vem de maneira diferente.

Asta, que é o nosso protagonista primário, influencia as pessoas com a sua determinação. Até a sua entrada nos Touros Negros, percebemos que nenhum cavaleiro mágico tinha real intenção de trabalhar, lutar ou treinar. Porém, com Asta entrando no time e mostrando para todos que ele vai fazer o seu melhor para ser Rei Mago, difícil quem fique parado.

Muito bem pelo contrário, todos eles começam a explorar suas forças e desejarem a se tornar mais fortes.

Inclusive, há um episódio bem emocionante em que o Asta esfarela os ossos de seus braços em uma luta. Recebendo a notícia de que mesmo tendo os ossos de volta, ele seria incapaz de empunhar a espada, pois fora amaldiçoado pelo vilão anteriormente derrotado.

É claro que Asta não demonstra para ninguém a sua tristeza e frustração, e não comenta com ninguém. Porém, um colega do esquadrão acaba ouvindo e resolve contar para os demais. Todos eles passam a aceitar missões em diferentes locais, só para encontrarem uma cura para a maldição de Asta.

Ou seja, o grupo que antes era baderneiro, não tinha interesse em trabalho, não tinha interesse em treinar, agora se reúne em prol de colega muito querido.

Essa é a influencia de Asta. E pasmem, ela se alastra até mesmo pelos capitães dos demais esquadrões. Não há quem não se sinta atraído pela motivação do personagem. Uma vez influenciado, os demais personagens também se tornam bem sedentos à conseguirem seus objetivos.

Referências bruxescas em Black Clover

É claro que não poderia faltar as referências bruxescas que encontramos em Black Clover.

Já aviso que não são muitas, pois o anime acaba criando um mundo mágico bem próprio.

O primeiro deles, você deve ter notado, são os grimórios. Assim que completam quinze anos, os humanos mágicos recebem seu grimório que tem em diversos formatos e espessuras. Nele a pessoa consegue “desbloquear” feitiços na medida em que desenvolve a magia.

A segunda referência é a presença dos elementais. O único elemental que não vi no anime, ou passou despercebido, é o gnomo. De resto vemos uma sílfide, uma ondina e a salamandra (que foi representada por um dragão).

A terceira referência são os poderes mágicos baseados nos quatro elementos. Há aqueles que manipulam a água, terra, fogo e ar, e também tem os poderes que advém desses quatro elementos. Por exemplo, elementos químicos como ferro, metal, mercúrio. Poder mágico é o que não falta, porém o cerne deles são os quatro elementos naturais.

A quarta referência são a presença de bruxas. Há uma região no meio da floresta que é habitada apenas por mulheres que são bruxas. Nesse clã há toda uma cultura própria delas, uma característica delas é de serem bem relutantes na presença de homens.

A quinta referência bruxesca é que os humanos mágicos voam em vassouras. É claro que na realidade isso é impensável, porém a vassoura é um símbolo do elemento ar e representa a a limpeza energética. No anime está mais estereotipado, porém é uma referência que não podemos deixar de fora.

A sexta referência é a presença de elfos. Os elfos são criaturas mitológicas, principalmente do panteão nórdico. No anime eles aparecem como uma sociedade bem antiga e poderosa, que se dizem amados pelo mana.


Leia também


Conclusão

O post ficou bem comprido, não? Mas saiba que segurei meus dedos para falar dessa teoria do tudo ou nada em Black Clover.

Se você deseja criar uma história, recomendo que veja esse anime. O Asta é um protagonista que nos motiva a sermos melhores, sem falar que todos os personagens são legais. Crie um personagem que tenha o carisma suficiente para influenciar os demais a buscarem a melhor versão de si mesmo.

Uma vez que o protagonista influencia os personagens secundários, ele será passível a influenciar o leitor/espectador também. É como um efeito dominó.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sobre a autora

Alis Green

Uma bruxa escritora que é viciada em animes. Adora estudar sobre mitologias e história, como também gosta de ler romances regenciais. Quando aprende alguma coisa nova, sempre passa à frente em seus posts.

Leia sobre esses artigos