Análise de Enredos Dicas de escrita Escrita Naturalizada

O despertar do poder mágico de um personagem

poder mágico de um personagem

Sabe aquele momento em que o personagem está prestes a perder uma luta, e somente então desperta o seu maior poder? No post de hoje iremos entender como que essa técnica funciona.

Isso é algo muito comum de acontecer nos filmes, séries e animes pois causam grande impacto no telespectador. É claro que nos livros também é possível de explorar esse desenvolvimento do personagem, mas é importante saber o porquê de isso ocorrer.

Vamos lá?

A espécie do seu personagem

Antes de começar a escrever essa cena, considero importante determinar o que é o seu personagem. Afinal de contas, estamos falando de poderes e habilidades que um ser humano comum não detém na realidade.

Ou seja, faz parte da fantasia.

Você pode determinar que ele é alguma criatura mágica, um feiticeiro, ceifador de almas, qualquer coisa. É como se houvesse um compartilhamento de mundos, onde o personagem não é somente humano. Afinal de contas, os humanos não detém poderes além de suas capacidades.

Então é importante determinar o quê ele é e qual o poder que irá desenvolver. Recomendo que faça cerca de 3 poderes ou técnicas para seu personagem se desenvolver, sendo um deles básico e fácil manuseio, e outro mais difícil de manusear, que chamaremos de terceiro poder.

Esse terceiro poder pode ser aquele que o personagem aprende no meio da história para lutar contra seu antagonista.

Nessa teoria que estou te apresentando agora trabalha, mais precisamente, com esse terceiro poder.

O poder sobre humano e seu acesso

Já comentei aqui no blog sobre a importância do lado negro sobrehumano se relacionar com o lado humano. Isso porque o humano é fraco, sempre precisando de ferramentas ou poderes para se empoderar.

Nesse caso ele faz uso do poder mágico.

Enquanto que o sobre-humano é forte, porém difícil de se acessar.

O poder mágico da qual irá desenvolver por último pede por uma grande transformação. Que o personagem tenha se desenvolvido e já não seja como antes. Ou seja, que expande suas forças físicas e mentais para ampliar seu limite, a ponto de se tornar apto para usar tal poder.

Além disso, podemos fazer um paralelo com o que é consciente e o que é inconsciente. A força já é existente dentro do personagem, mas até então foi negada por ser desnecessária, e até mesmo repudiada. Porém com o decorrer da narrativa, torna-se importante acessá-la para torná-la uma ferramenta, e o personagem ficar mais forte.

Geralmente os personagens não tem conhecimento sobre esse terceiro poder até um determinado momento. Alguns autores trabalham com cenas de lutas para mostrar uma pequena brecha desse poder intenso, como uma forma de despertar da consciência de sua existência.

Usando o exemplo de Ichigo do anime Bleach

Nesse anime temos um protagonista que se torna um ceifador de almas, porém ele tem uma criatura (inimiga dos ceifadores, até certo ponto) dentro de si, chamada Hollow. Durante várias batalhas, Ichigo evita ao máximo utilizar essa força do Hollow, pois ele perde a consciência, ou seja o controle de sua força.

Não seria quem atacaria, não seria ele a medir a força pra evitar matar seu inimigo, não seria ele quem decidiria a luta. Seria um Hollow sedento de poder, desejando ganhar custe o que custar.

Durante o anime, o personagem treina pra desenvolver controle sobre esse Hollow, chegando a ter diversas batalhas internas com esse seu lado mais instintivo. São dois Ichigos lutando um contra o outro, para provar quem é mais forte e merece estar “comandando” o corpo no mundo externo.

Então aqui já vemos que a transformação de um personagem para conquistar esse terceiro poder pode ser feito no campo da psiquê também. Além de se treinar o corpo físico no mundo externo, a fim de se preparar para as batalhas, há a necessidade de que a mente também seja treinada.

Ainda assim o personagem não permite que o Hollow permaneça no controle por muito tempo. Por mais que ele tenha ficado mais forte, conseguindo emprestar a força do Hollow em suas lutas, Ichigo não consegue deixar de querer controlar seu hollow interno.

Podemos resumir da seguinte forma: o Hollow seria um “outro Ichigo” rebelde, esse Hollow e Ichigo humano querem o poder de controlar o outro. Então os dois lutam (no campo da mente) para determinar quem é mais forte e merecedor do controle do corpo físico.

Controle e descontrole do terceiro poder

Mesmo depois de Ichigo ter demonstrado força o suficiente pra controlar o Hollow, ele não consegue mantê-lo por mais de 11 segundos em uma batalha. O que significa ter ainda um caminho a ser trilhado em seu treinamento.

Ainda assim, ele continua lutando com todas as forças. Porém, chega um momento que o corpo não aguenta, sua força se esgota. É aquela parte que o personagem quase morre.

Uma vez que sua vida corre risco e a consciência se encontra “vaga”, o Hollow toma o controle e lidera a luta. Sendo que agora temos o personagem conseguindo manusear o seu terceiro poder com uma potência intensa e esmagadora.

Para quem assiste ou lê, essa parte gera um climax intenso. Pois o protagonista está prestes a perder, não há esperança alguma de que algo possa ocorrer, e ele retorna de forma gloriosa.

Podemos entender essas partes da seguinte forma: enquanto o Ichigo luta, por mais que diga estar usando toda sua força, ele não está. Há um contensão de poder, pois sabe que se liberar absolutamente toda sua força, acabará por perder o controle de si mesmo e dar espaço para que o Hollow tome a dianteira.

Nenhum personagem luta com toda a sua força, ele sempre está de comedindo. Por isso é tão comum que os antagonistas, ou inimigos em geral, brigarem com os protagonistas “lute com toda sua força”, pois eles estão sempre se controlando pra não perderem o controle sobre si mesmos.

O instinto de sobrevivência que alimenta o poder

Geralmente esse terceiro poder vem com toda força quando a vida do protagonista se encontra em risco e vulnerável. Onde não há mais força para fugir ou continuar a lutar. Não há nada que possa ser feito.

Todas as criaturas vivas contém esse instinto de sobrevivência. Em nós humanos temos os sistema simpático e parassimpático, que preparam o nosso corpo para fugir ou lutar. Estude sobre isso e entenderá o que estou a dizer nesse momento.

No caso das narrativas, e do anime Bleach, o protagonista opta por lutar mesmo que contendo sua força. Só que isso o coloca em uma situação intensa, pois sua vida corre risco. Como tudo no corpo está enfraquecido, o poder mágico surge como uma ferramenta que toma o controle da situação.

Ou seja, ela pode ser ativada como instinto de sobrevivência mágica. Impedindo o protagonista de morrer enquanto que o inimigo em questão estiver por perto, ou vivo.

Sendo assim pode trabalhar com esse terceiro poder à algo mais instintivo, algo primitivo do próprio protagonista.


Leia também: Análise de enredo #2 – Nurarihyon no Mago


Conclusão

O terceiro poder costuma ser tão forte e intenso que o protagonista demora em ganhar confiança para controlá-lo. E mesmo o fazendo, há o receio de manuseá-lo, pois há o medo de perder controle de sua força total, e acabar atingindo pessoas que não deve, ou ferir seus valores enquanto herói (como não tirar a vida do inimigo).

Para acessar esse poder é interessante o protagonista treinar tanto o corpo quanto a mente, pois geralmente esse poder avassalador engloba a perda da consciência de seus próprios atos. E isso é algo que, geralmente, os protagonistas mais detestam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Recomendados