Mitologia celta: introdução de uma cultura
Bruxaria Mitologias

Mitologia celta: introdução de uma cultura

A mitologia celta é um tanto misteriosa por conta da dificuldade dos historiadores em entender essa antiga cultura.

Então vale deixar claro aqui, essa postagem será atualizada na medida em que eu encontrar mais materiais que falem sobre a antiga cultura celta. Inclusive, se você tiver algum material de apoio, compartilhe conosco para todos aprenderem juntos.

Vamos lá?

Cultura celta é misteriosa

Primeiramente, por que é considerada misteriosa?

Faço uso da palavra misteriosa para não dizer confusa. Afinal, estamos falando de uma cultura que antecede a era comum, ou antes de Cristo. O povo celta não vivia em uma só região, e sim em várias regiões (que hoje conhecemos como certas partes de alguns países) em tribos.

E ainda temos um agravante: não havia escrita.

Isso mesmo. Na cultura celta, para manter vivo suas histórias e mitologias, elas eram contadas pelos druidas, e constantemente histórias novas surgiam, pois, alguns dos druidas iam de tribos em tribos contando histórias.

Por causa disso, a mitologia celta que conhecemos hoje é apenas uma pequena parte que sobreviveu, por vezes misturadas com paganismo clássico e cristianismo.

O principal motivo para que celtas “sumissem” do mapa foi a conquista territorial do povo romano. Em alguns videos (que deixarei linkado no final do post) é contado as diversas batalhas e guerras entre celtas e romanos por conta da conquista de territórios.

Com essas guerras e dominações, parte da cultura celta é trazida para a cultura romana. Então é bastante comum que tenha uma determinada Deusa celta que também tem sua “representante” na mitologia romana e grega.

Curiosamente, dizem que a Irlanda seria o único país que conseguiu manter vivo a cultura celta por um bom tempo, por justamente ser uma ilha afastada. De tal forma, era difícil ser invadida com frequência, e ter esse contato com os romanos.

Um povo civilizado na idade do ferro

Dizem que o povo celta foi o primeiro povo civilizado na Europa, por volta de 4.000 a.C./e.a.c buscando uma tal “terra prometida”. Buscando por tal terra, chegou-se ao ponto dos celtas se desenvolverem culturalmente quando tiveram seus territórios estabelecidos. Segundo o que alguns autores contam, a terra procurada é a Inglaterra. Nessa época, segundo o que dizem alguns arquivos, os celtas ocupavam regiões da: Alemanha, Bélgica, Holanda, Dinamarca, França e Inglaterra.

Como parte de sua cultura, que diga-se de passagem não era de um todo pacífica, havia um ritual de passagem da fase infantil para a adulta, que demarcava aquele sujeito como um celta. Ele funcionava da seguinte maneira: o garoto saia da tribo e só poderia retornar quando tivesse a cabeça de uma pessoa que não fosse Celta. Conseguindo tal façanha, ele era tatuado com algum simbolo que sinalizasse sua “adulteza”.

Lembram que eu comentei sobre a inexistência da escrita? Pois bem, chegou-se um momento em que ela foi desenvolvida, porém somente os Druidas a aprendiam. Druidas seriam os sacerdotes celtas, que consideravam a escrita como uma mágica, assim mantendo suas histórias registradas.

Como é esperado do homem, os celtas migravam com muita frequência. O contar de histórias foi se misturando com as mitologias de cada tribo. Podemos dizer que haviam suas semelhanças, da mesma forma como haviam suas diferenças, ainda assim era a forma como as histórias foram espalhadas.


Leia também: Conhecendo a Roda do Ano


A mitologia Celta

Diferente de outras mitologias, na cultura Celta não há um início do mundo feito por deuses.

No entanto, as figuras mitológicas começam á surgir após a chegada dos Celtas na terra prometida, vulgo Inglaterra. Convivendo em terras desconhecidas, eles vivenciam experiências com seres diferentes, que mais tarde protagonizam os mitos que conhecemos na atualidade.

Uma delas era a de um homem peludo e de aparência feia, que ao falar gritava dificultando na compreensão. Dizem que eles comiam com as mãos e não pareciam civilizados. Os celtas os consideraram como demônios, e tiveram de expulsá-los até a floresta.

Outra lenda contada envolve a “chegada dos deuses”. Eles teriam chegado através de navios voadores, desceram dos céus em meio á fumaça até pousarem na terra. Os celtas os consideravam evoluídos, sendo eles os responsáveis em ensiná-los a escrever. Da mesma forma, tais viajantes também teriam ensinado as ciências para os druidas, sendo que uma delas chama a atenção na história do transplante de coração.

É dito também que tais viajantes teriam trazido 4 artefatos que auxiliaram os celtas no combate com os demônios.

De qualquer forma, as lendas contam que os deuses voltavam para aquelas terras á cada mil anos, sendo que na última vez teriam construído Stonehenge. Porém, nem todos os viajantes divinos foram embora, teriam alguns deles permanecidos entre os celtas, sendo considerados os primeiros druidas.

Interpretando esse mito celta

Apesar de ser algo que faça as pessoas refletirem sobre a vinda extraterrestre, não é bem assim que os historiadores veem os mitos celtas.

Admito que ao ler, também pensei que essa coisa de navio voador seria o tal et Bilú.

Porém, nos pdf’s logo é comentado que esses mitos seriam apenas a versão dos celtas, que desconheciam aquelas pessoas, á ponto de considerá-las divinas.

O primeiro ponto envolve os demônios peludos. Um dos autores comenta que os celtas tinham o hábito de raspar os pelos do corpo. Sendo assim, poderia causar tamanho estranhamento ao encontrar com alguém que tem o corpo coberto de pelugens. Também é interessante lembrar que podem, sim, existir na época pessoas que não eram tão evoluídas quanto os celtas.

O segundo ponto envolve os tais navios voadores e as fumaças. Segundo um autor, os colonizadores poderiam ter se aproximado das terras inglesas e queimado seus navios para evitar fugas, o que explicaria a fumaça. Sendo assim, quando os celtas avistaram os navios se aproximando poderiam ter pensado que ele estava voando o ar, quando na verdade, eles é quem não haviam notado o mar por conta da fumaça.

Cultura celta

Conseguimos aprender, então, que o povo celta vivia em diferentes tribos espalhadas por vários territórios e países diferentes. Entre os diversos grupos e tribos celtas, haviam: os bretões, gauleses, escotos, eburões, batavos, belgas, gálatas, trinovantes e os caledônios. Não estranhe caso reconheça alguns desses nomes, afinal alguns estado-nações nomearam suas terras com esses nomes (País de Gales, por exemplos).

Caso você não tenha se situado muito bem com esses nomes e demais territórios, podemos dizer que as regiões europeias que tiveram o contato com a cultura celta são: País de Gales, Cornualha, Gália, a região norte de Portugal e Galiza. Ou seja, nessas regiões pode haver resquícios da cultura celta, seja na linguagem, folclore, tradições, etc.

E, como esperado, a cultura celta foi expandindo na medida em que métodos foram desenvolvidos. Por exemplo: a música. Usar a música como uma forma de representar a cultura, ajudou á expandi-la para outros territórios. E isso acontece até os dias atuais.

Conclusão

No post de hoje nos introduzimos na cultura celta, conhecendo parte de sua história como migrantes natos.

Já em nosso próximo post sobre a mitologia celta, iremos conhecer algumas divindades e suas histórias, servindo apenas como um breve conhecimento. Aviso já que são várias divindades, então estejam preparados para os estudos!

Deixo aqui abaixo os links para aprofundar os seus estudos. Lembro ainda que na medida em que eu encontrar algum livro com informações sobre os celtas e a cultura, irei atualizar esse post, ou fazer um novo (para não ficar uma leitura cansativa).

Estudem bastante, garanto que é um tema interessantíssimo!

Fontes

Mitologia Celta – Arquivos de autores desconhecidos = Arquivo 1 | Arquivo 2.

Conhecimentos da Humanidade – Celtas: histórias e tradições

Veja outros assuntos

2 comentários

  1. Carla Sofia Oliveira martins3 says:

    Olá, boa noite. Não sei se me pode ajudar. Nao percebo nada de místicas nem rituais celtas, mas tive um sonho que me deixou muito nervosa e intrigada. E apesar de não ser um assunto que me interesse, é por isso mesmo me acho mais estranho. Sei que tem uma mensagem para mim. Mas não a entendo. É o seguinte: a noite passada sonhei que estava a vir do trabalho para casa, no meu carro e ainda de dia. E a meio do caminho, deixou de haver trânsito. Era só eu na estrada. E surge na minha frente 2 jovens ruivas muito esbeltas, de cabelo muito longo e estavam nuas . Pareciam gêmeas. No meio delas seguia uma vaca de tons beges. Era uma espécie de procissão, caminhavam calmamente. Nunca se viraram para mim. E eu seguia-as, curiosa… entretanto, as jovens começaram a lançar pétalas de flores pelo ar que caiam no chão, claro… e eu seguia no meu carro, pisando essas pétalas, pois não havia outro jeito de seguir em frente. O que me assustou foi que de repente, o chão já não estava coberto de pétalas mas sim de patinhos bebés amarelinhos e eu estava a atropela -los e não conseguia parar. Fiquei em choque. Eles não estavam esborrachados, apenas imóveis.
    Pode dizer-me o que significa? É que começou de uma forma tão linda e terminou tão horrível. Sei que nao foi um sonho normal.
    Estou a passar uma fase muito dificil na minha vida. Amanhã, 28 de setembro vou assinar o divórcio, que foi sempre infeliz e cheio de traições, mentiras e indiferença. Estou mais que preparada para isso. Mas tenho o meu trabalho num caos e não aguento mais. Não estou a conseguir sair para outro. Estou exausta de atender público há 26 anos e estou em burnout. Ajude-me a entender o que estas jovens querem dizer-me, por favor. Grata

    1. Alis Green says:

      Olá, é interessante que você diz não ser tão ligada á cultura celta, mas ainda assim veio comentar nesse post que introduz á mitologia. Gostaria de saber o por quê? Foi algo no seu sonho que deu essa impressão?
      Irei deixar alguns apontamentos meus, e gostaria que você refletisse sobre. Se quiser, anote os seus sonhos assim que acordar, para ver se tem algum padrão de repetição.
      Sobre a sua dúvida, você está passando por uma situação bem estressante, e apesar de estar resolvendo algo que te impede de viver (no caso, um relacionamento considerado conturbado), você está se deparando com outro problema que envolve o seu trabalho. Talvez esse sonho esteja te mostrando que, ao mesmo tempo que você se liberta de algo (ligando a questão das duas moças nuas caminhando com a vaca na estrada), ainda está presa á outra coisa (ligando á representação dos patinhos).
      Outro ponto, perceba que descreveu os patinhos como imóveis, e que você não conseguia parar, á ponto de estar prestes á atropelá-los. Seria isso a falta de controle nas tomadas de decisão sobre o seu trabalho? Não somente no trabalho, como em qualquer outra área da sua vida.
      A vaca, em algumas culturas, carrega um símbolo positivo como prosperidade. Inclusive, os celtas tinham como hábito de festejo dos sabbaths passar com as vacas entre as fogueiras para uma boa fertilidade e uma boa colheita do leite e da carne. Ou seja, era ritualístico fazer a procissão com as vacas entre fogueiras para adquirir um benefício ligado ao sabbath em questão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.