Divindades femininas da mitologia celta – parte 2
Caminho da Lua Mitologias

Divindades femininas da mitologia celta – parte 2

No primeiro post em que conhecemos os deuses, conhecemos algumas Deusas que são conhecidas dentro da mitologia. Nesse post, apresento novas divindades femininas, que pode ser famosas ou não.

Há algumas delas que não tem uma mitologia muito sólida, sabendo apenas suas regências. Além disso, no caso de Morgana, recomendo a leitura da fonte que se encontra no final desse post para saberem melhor sobre sua história.

Vale lembrar que é interessante ler sobre as outras divindades femininas que já foram retratadas, e que você pode ler clicando aqui.

Cliodhna

Dependendo de onde estiver lendo sobre essa Deusa, irá se deparar com diferentes nomes como Cleena, Clídna, Clíodna, Clíona, Clidna Centfind. Todos eles são válidos.

Conhecida como Rainha Fada, rege a soberania, eloquência, cura, amor, beleza e mudança de forma. Quando retratada, a vemos cercada de pássaros cuja penas são brilhantes e o canto é doce a ponto aliviar a dor dos doentes. Os ovos desses pássaros são de cor carmesim que quem a come pode mudar de forma.

Há uma teoria de que Cliodhna foi uma Deusa da terra, é associada ás rochas do mar e descrita como uma banshee poderosa. Há uma história sobre a Deusa como banshee contou aos MacCarthys sobre a pedra da eloquência. A Blarney Stone, quando tocada com os lábios, daria a eloquência sem precisar da honestidade.

Como Cormac MacCarthy tinha uma problema judicial, ele recebeu dessa instrução e o fez conseguindo a perspicácia para se livrar do problema. No entanto, ele não queria que outras pessoas obtivessem a vantagem da pedra e por isso a escondeu na marulha do Castelo Blarney. Segundo a fonte dessa pesquisa, a pedra realmente existe e seu local é um ponto turístico.

Há também um mito que conta sobre o romance de Cliodhna e Ciabhán, que durante a fuga da Ilha Prometida ele fora pescar deixando a amada dormindo no barco. Algumas versões falam que Manannan controlou a maré para trazer a Deusa de volta á Terra Prometido. Já outras falam que

Danu

Também conhecida como Dana ou Anu, é a Deusa Mãe da mitologia celta. Dentro dos mitos, ela é a representação primordial da qual os Deuses e os Homens descendem. Dentro da cultura celta há uma tribo muito conhecida, os Tuatha de Danann, cuja tradução significa “Crianças de Danu”. Há lendas que contam que as pessoas dessa tribos, eram de fato descendentes dessa Deusa, de alguma forma.

Esposa de Beli, ela é mãe do Deus Dagda, Gwydion, Arianrhod, Gobannon e Nudd. Nas culturas de outros países, existem divindades com seus atributos como Isis da mitologia egipcia, Santa Ana da mitologia cristã e Don da mitologia galesa.

Ela rege a terra, água, abundância, plenitude da natureza, lar e família. Danu é considerada uma das Deusas mais antigas da cultura celta, e seu nome significa sabedoria e abundância. Além disso, o seu aspecto Feminino Divino é retratado como Deusa Tríplice, assumindo as faces de donzela, mãe e anciã.

Há um mito que conta após a derrota dos Tuatha de Dannan em uma guerra com os Milesianos, aqueles que sobreviveram refugiaram nas colinas e abaixo da terra. A partir de então, vem a referência á Fairy people, que remeteria á fadas. No entanto, podemos dizer que refere-se aos seres sobrenaturais que ali vivem, sob a proteção da Deusa Danu.

Percebemos a importância dessa Deusa, quando aprendemos a existência de um rio que recebeu de teu nome. O Rio Danúbio é importante, pois próximo a ele o povo celta se estabeleceu e desenvolveu.

Se quiser celebrá-la, o dia 31 de março é sua data oficial.

Morrigan

Deusa celta da batalha, fertilidade e conflito, cujo nome pode ser traduzido como “Grande Rainha”. Inclusive, há um debate entre os estudioso á respeito de Morrigan ser apenas a Deusa da fertilidade e ligada á soberania, ao invés de reger as guerras. No entanto, a maior parte dos mitos e retratações a mostram como uma divindade ligada a guerras e batalhas.

O corvo é um animal ligado á ela, que carrega uma representação da morte. Nos mitos é contado que quando um corvo está próximo, a morte está sendo anunciada para alguém. Sendo assim, Morrigan seria uma divindade que também trás a morte para um guerreiro durante uma batalha.

Morrigan ora é retratada sozinha nos mitos, ora junto de outras duas Deusas formando uma tríade. Faz parte da tribo Tuatha de Danann, e ajudou durante a batalha contra os Firbolg e os Formorianos.

Dentre os contos contados sobre si, o que mais se destaca é ao lado do herói Cú Chulainn (um herói celta semelhante á Hércules). A Deusa teria se apaixonado pelo rapaz por conta de seus atos heróicos, porém ao se declarar Cu Chulainn não a reconhecera e a rejeitou.

Furiosa com a rejeição, Morrigan disse que o impediria em batalha. Na primeira vez que se encontraram, a Deusa estava disfarçada de novilha vermelha (espécie de vaca), tendo de sua perna quebrada pelo herói. Na segunda vez, ela se disfarçou de enguia e tentou envolver as pernas do rapaz, acabando por ser pisoteada. Na terceira vez, a Deusa se disfarçou de um lobo cinzento, e tivera de seu olho espetado.

Em nenhum momento Cu Chulainn reconhecera a Deusa Morrigan. A última vez que ambos se viram, fora no momento que o herói morreu amarrado em uma pedra. Um corvo repousara em seu ombro, sendo sinal da Deusa.

Andraste

Deusa Celta da guerra, sendo semelhante á Morrigan. Era invocada antes das batalhas, onde soltava uma lebre para interpretar o seu curso no campo de batalha.

Não há muitas informações sobre essa Deusa. O que é contado é sobre as oferendas contendo sangue humano que ela recebia.

Airmid

Filha de Dian Cecht, é a Deusa da cura e da medicina. Considerada uma divindade antiga da mitologia celta, ela é quem detém os poderes da cura através das especialidades das ervas. Sendo assim, Airmid é capaz de curar os humanos e os animais.

Quando um dos seus irmãos, Miach, fora morto por seu pai, Airmid chorou em seu túmulo. Suas lágrimas caíram na terra e deram origem á 365 tipos diferentes de ervas, que cresceram em volta do túmulo.

Ela recolheu cada erva e as estudou, catalogando-as para saber o uso mágico e medicinal. Colocou as ervas em seu manto com o intuito de curar cada pessoa de qualquer enfermidade, no entanto o seu pai retirou das ervas e as derrubou no chão.

Ainda assim, ela o ajudou na cura dos Tuatha de Danann durante batalhas.

Druantia

Divindade celta das árvores e da fertilidade dos homens e plantas. Conhecida como a Rainha dos Druidas, é descrita como uma pessoa alta de cabelos espessos e amarelados tal como o trigo. A face ligada às Arvores, significa proteção, conhecimento, criatividade e crescimento.

Alguns autores falam que foi de sua autoria o calendário celtas das árvores, que segue o ciclo da lua.

É vista como uma divindade sábia e eterna, afinal os pinheiros e carvalhos permanecem com as folhas verdes até mesmo no inverno. Seu conhecimento ensina as pessoas os caminhos das floresta, simbolicamente um caminho da verdade.

Por conta dessa representatividade da magia verde, carrega o nome de Senhora das Fadas das árvores.

Epona

Deusa celta dos cavalos, podendo ser associada á terra e fertilidade. O significado de seu nome é traduzido como “Grande Égua”, e ela era cultuada em várias regiões como Deusa protetora dos cavalos, burros, mulas e os cavaleiros.

Antigamente, era responsável por guiar á cavalo as almas para o pós morte. Outras histórias falam que era hábil, capaz de se transformar em cavalo adquirindo a forma de uma égua branca-prateada.

Tendo essa ligação com a passagem para o outro mundo, é possível de haver outras representações animalescas junto da Deusa. Animais que representem a morte ou esse processo de passagem como o corvo e o cão podem ser encontrados.

Curiosamente, essa divindade é bastante popular a ponto de ser mantida mesmo durante as invasões. Povos de outras regiões (como os romanos), adotaram a Deusa e mantiveram seu nome e propriedades. Sendo assim, existiam templos e oferendas para Epona.

Morgana

Essa é uma divindade, ou uma fada, que é difícil de encontrar informações que não se envolvam com as histórias do Rei Arthur. Em alguns momentos é chamada de Deusa, em outras é tratada como um personagem da história que resgata o feminino. A confusão é imensa.

Em minhas pesquisas, tudo o que encontrei fora relacionado á história do Rei Arthur. Além disso, alguns autores e bruxos comentam sobre a relação de Morgana com a Deusa Morrigan, como se fossem a mesma pessoa. Não consegui informações que fosse convictas sobre isso, são apenas especulações.

Como Deusa, Morgana carrega a triplicidade consigo da morte e do renascimento. Tem o dominio dos ritmos de cada fase da vida, e alguns a consideram uma Deusa do mar por conta de seu nome. Os textos vangloriam de sua beleza, como se não houvesse nenhuma outra criatura tão bela quanto Morgana.

A história de Morgana conta que ela é meia-irmã de Arthur, porém ambos não viveram a infância tão unidos, pois ela fora levada para a ilha de Avalon aos 12 anos de idade. Ela fora treinada para ser uma grandiosa sacerdotisa, cuja última “prova” seria um ritual sexual no sabbat de Beltane. Morgana fora representando a lua e Arthur representando o sol, nenhum reconhecera o outro, e ainda assim se uniram sexualmente.

Desse ritual, Morgana engravidara, e seu filho viria a ser o inimigo do próprio pai no futuro.

A comunidade dessa figura feminina conta com nove sacerdotisas ao todos, que habitavam as ilhas britânicas. E apesar das histórias a colocarem como uma bruxa malvada, os pagãos da atualidade enxergam sua dualidade como algo sagrado. Principalmente aqueles que desejam estudar e vivenciar o sagrado feminino, irão se deparar com sua figura mais cedo ou mais tarde.

Flidais

Deusa da fertilidade e da abundância, podendo ser também da floresta e dos animais selvagens.

Tudo o que se sabe sobre essa Deusa é o retrato de andar em carruagens puxadas por cervos e veados.

Além disso, tem três filhas: Fand, Bé Chuille e Bé Téite.

Fontes

Além de Salém – Conhecendo Morrigan, a Deusa Celta da Guerra

Bosque das feiticeiras – Deusa Airmid

Bruxos do Luar – Deusa Danu e sua mitologia

Caminho pagão – Clídna Rainha Fada | Deusa Danu (Dana/Anu) | Epona | Flidais

Comunidade Amino – Morgana

Dez mil nomes – Danu, a Grande Mãe irlandesa | Druantia, senhora das plantas

Portal dos mitos – Morrigan | Epona

Projetos Gaia Paganus – Deusa Cliodhna

Unicórnio da Deusa – Deusa Andraste

Vale lembrar que é interessante ler sobre as outras divindades femininas que já foram retratadas, e que você pode ler clicando aqui.

Cliodhna

Dependendo de onde estiver lendo sobre essa Deusa, irá se deparar com diferentes nomes como Cleena, Clídna, Clíodna, Clíona, Clidna Centfind. Todos eles são válidos.

Conhecida como Rainha Fada, rege a soberania, eloquência, cura, amor, beleza e mudança de forma. Quando retratada, a vemos cercada de pássaros cuja penas são brilhantes e o canto é doce a ponto aliviar a dor dos doentes. Os ovos desses pássaros são de cor carmesim que quem a come pode mudar de forma.

Há uma teoria de que Cliodhna foi uma Deusa da terra, é associada ás rochas do mar e descrita como uma banshee poderosa. Há uma história sobre a Deusa como banshee contou aos MacCarthys sobre a pedra da eloquência. A Blarney Stone, quando tocada com os lábios, daria a eloquência sem precisar da honestidade.

Como Cormac MacCarthy tinha uma problema judicial, ele recebeu dessa instrução e o fez conseguindo a perspicácia para se livrar do problema. No entanto, ele não queria que outras pessoas obtivessem a vantagem da pedra e por isso a escondeu na marulha do Castelo Blarney. Segundo a fonte dessa pesquisa, a pedra realmente existe e seu local é um ponto turístico.

Há também um mito que conta sobre o romance de Cliodhna e Ciabhán, que durante a fuga da Ilha Prometida ele fora pescar deixando a amada dormindo no barco. Algumas versões falam que Manannan controlou a maré para trazer a Deusa de volta á Terra Prometido. Já outras falam que

Danu

Também conhecida como Dana ou Anu, é a Deusa Mãe da mitologia celta. Dentro dos mitos, ela é a representação primordial da qual os Deuses e os Homens descendem. Dentro da cultura celta há uma tribo muito conhecida, os Tuatha de Danann, cuja tradução significa “Crianças de Danu”. Há lendas que contam que as pessoas dessa tribos, eram de fato descendentes dessa Deusa, de alguma forma.

Esposa de Beli, ela é mãe do Deus Dagda, Gwydion, Arianrhod, Gobannon e Nudd. Nas culturas de outros países, existem divindades com seus atributos como Isis da mitologia egipcia, Santa Ana da mitologia cristã e Don da mitologia galesa.

Ela rege a terra, água, abundância, plenitude da natureza, lar e família. Danu é considerada uma das Deusas mais antigas da cultura celta, e seu nome significa sabedoria e abundância. Além disso, o seu aspecto Feminino Divino é retratado como Deusa Tríplice, assumindo as faces de donzela, mãe e anciã.

Há um mito que conta após a derrota dos Tuatha de Dannan em uma guerra com os Milesianos, aqueles que sobreviveram refugiaram nas colinas e abaixo da terra. A partir de então, vem a referência á Fairy people, que remeteria á fadas. No entanto, podemos dizer que refere-se aos seres sobrenaturais que ali vivem, sob a proteção da Deusa Danu.

Percebemos a importância dessa Deusa, quando aprendemos a existência de um rio que recebeu de teu nome. O Rio Danúbio é importante, pois próximo a ele o povo celta se estabeleceu e desenvolveu.

Se quiser celebrá-la, o dia 31 de março é sua data oficial.

Morrigan

Deusa celta da batalha, fertilidade e conflito, cujo nome pode ser traduzido como “Grande Rainha”. Inclusive, há um debate entre os estudioso á respeito de Morrigan ser apenas a Deusa da fertilidade e ligada á soberania, ao invés de reger as guerras. No entanto, a maior parte dos mitos e retratações a mostram como uma divindade ligada a guerras e batalhas.

O corvo é um animal ligado á ela, que carrega uma representação da morte. Nos mitos é contado que quando um corvo está próximo, a morte está sendo anunciada para alguém. Sendo assim, Morrigan seria uma divindade que também trás a morte para um guerreiro durante uma batalha.

Morrigan ora é retratada sozinha nos mitos, ora junto de outras duas Deusas formando uma tríade. Faz parte da tribo Tuatha de Danann, e ajudou durante a batalha contra os Firbolg e os Formorianos.

Dentre os contos contados sobre si, o que mais se destaca é ao lado do herói Cú Chulainn (um herói celta semelhante á Hércules). A Deusa teria se apaixonado pelo rapaz por conta de seus atos heróicos, porém ao se declarar Cu Chulainn não a reconhecera e a rejeitou.

Furiosa com a rejeição, Morrigan disse que o impediria em batalha. Na primeira vez que se encontraram, a Deusa estava disfarçada de novilha vermelha (espécie de vaca), tendo de sua perna quebrada pelo herói. Na segunda vez, ela se disfarçou de enguia e tentou envolver as pernas do rapaz, acabando por ser pisoteada. Na terceira vez, a Deusa se disfarçou de um lobo cinzento, e tivera de seu olho espetado.

Em nenhum momento Cu Chulainn reconhecera a Deusa Morrigan. A última vez que ambos se viram, fora no momento que o herói morreu amarrado em uma pedra. Um corvo repousara em seu ombro, sendo sinal da Deusa.

Andraste

Deusa Celta da guerra, sendo semelhante á Morrigan. Era invocada antes das batalhas, onde soltava uma lebre para interpretar o seu curso no campo de batalha.

Não há muitas informações sobre essa Deusa. O que é contado é sobre as oferendas contendo sangue humano que ela recebia.

Airmid

Filha de Dian Cecht, é a Deusa da cura e da medicina. Considerada uma divindade antiga da mitologia celta, ela é quem detém os poderes da cura através das especialidades das ervas. Sendo assim, Airmid é capaz de curar os humanos e os animais.

Quando um dos seus irmãos, Miach, fora morto por seu pai, Airmid chorou em seu túmulo. Suas lágrimas caíram na terra e deram origem á 365 tipos diferentes de ervas, que cresceram em volta do túmulo.

Ela recolheu cada erva e as estudou, catalogando-as para saber o uso mágico e medicinal. Colocou as ervas em seu manto com o intuito de curar cada pessoa de qualquer enfermidade, no entanto o seu pai retirou das ervas e as derrubou no chão.

Ainda assim, ela o ajudou na cura dos Tuatha de Danann durante batalhas.

Druantia

Divindade celta das árvores e da fertilidade dos homens e plantas. Conhecida como a Rainha dos Druidas, é descrita como uma pessoa alta de cabelos espessos e amarelados tal como o trigo. A face ligada às Arvores, significa proteção, conhecimento, criatividade e crescimento.

Alguns autores falam que foi de sua autoria o calendário celtas das árvores, que segue o ciclo da lua.

É vista como uma divindade sábia e eterna, afinal os pinheiros e carvalhos permanecem com as folhas verdes até mesmo no inverno. Seu conhecimento ensina as pessoas os caminhos das floresta, simbolicamente um caminho da verdade.

Por conta dessa representatividade da magia verde, carrega o nome de Senhora das Fadas das árvores.

Epona

Deusa celta dos cavalos, podendo ser associada á terra e fertilidade. O significado de seu nome é traduzido como “Grande Égua”, e ela era cultuada em várias regiões como Deusa protetora dos cavalos, burros, mulas e os cavaleiros.

Antigamente, era responsável por guiar á cavalo as almas para o pós morte. Outras histórias falam que era hábil, capaz de se transformar em cavalo adquirindo a forma de uma égua branca-prateada.

Tendo essa ligação com a passagem para o outro mundo, é possível de haver outras representações animalescas junto da Deusa. Animais que representem a morte ou esse processo de passagem como o corvo e o cão podem ser encontrados.

Curiosamente, essa divindade é bastante popular a ponto de ser mantida mesmo durante as invasões. Povos de outras regiões (como os romanos), adotaram a Deusa e mantiveram seu nome e propriedades. Sendo assim, existiam templos e oferendas para Epona.

Morgana

Essa é uma divindade, ou uma fada, que é difícil de encontrar informações que não se envolvam com as histórias do Rei Arthur. Em alguns momentos é chamada de Deusa, em outras é tratada como um personagem da história que resgata o feminino. A confusão é imensa.

Em minhas pesquisas, tudo o que encontrei fora relacionado á história do Rei Arthur. Além disso, alguns autores e bruxos comentam sobre a relação de Morgana com a Deusa Morrigan, como se fossem a mesma pessoa. Não consegui informações que fosse convictas sobre isso, são apenas especulações.

Como Deusa, Morgana carrega a triplicidade consigo da morte e do renascimento. Tem o dominio dos ritmos de cada fase da vida, e alguns a consideram uma Deusa do mar por conta de seu nome. Os textos vangloriam de sua beleza, como se não houvesse nenhuma outra criatura tão bela quanto Morgana.

A história de Morgana conta que ela é meia-irmã de Arthur, porém ambos não viveram a infância tão unidos, pois ela fora levada para a ilha de Avalon aos 12 anos de idade. Ela fora treinada para ser uma grandiosa sacerdotisa, cuja última “prova” seria um ritual sexual no sabbat de Beltane. Morgana fora representando a lua e Arthur representando o sol, nenhum reconhecera o outro, e ainda assim se uniram sexualmente.

Desse ritual, Morgana engravidara, e seu filho viria a ser o inimigo do próprio pai no futuro.

A comunidade dessa figura feminina conta com nove sacerdotisas ao todos, que habitavam as ilhas britânicas. E apesar das histórias a colocarem como uma bruxa malvada, os pagãos da atualidade enxergam sua dualidade como algo sagrado. Principalmente aqueles que desejam estudar e vivenciar o sagrado feminino, irão se deparar com sua figura mais cedo ou mais tarde.

Flidais

Deusa da fertilidade e da abundância, podendo ser também da floresta e dos animais selvagens.

Tudo o que se sabe sobre essa Deusa é o retrato de andar em carruagens puxadas por cervos e veados.

Além disso, tem três filhas: Fand, Bé Chuille e Bé Téite.

Fontes

Além de Salém – Conhecendo Morrigan, a Deusa Celta da Guerra

Bosque das feiticeiras – Deusa Airmid

Bruxos do Luar – Deusa Danu e sua mitologia

Caminho pagão – Clídna Rainha Fada | Deusa Danu (Dana/Anu) | Epona | Flidais

Comunidade Amino – Morgana

Dez mil nomes – Danu, a Grande Mãe irlandesa | Druantia, senhora das plantas

Portal dos mitos – Morrigan | Epona

Projetos Gaia Paganus – Deusa Cliodhna

Unicórnio da Deusa – Deusa Andraste

Dando continuidade ás Deusas celtas, vamos conhecer mais 10 delas nesse post.

Há algumas delas que não tem uma mitologia muito sólida, sabendo apenas suas regências. Além disso, no caso de Morgana, recomendo a leitura da fonte que se encontra no final desse post para saberem melhor sobre sua história.

Vale lembrar que é interessante ler sobre as outras divindades femininas que já foram retratadas, e que você pode ler clicando aqui.

Cliodhna

Dependendo de onde estiver lendo sobre essa Deusa, irá se deparar com diferentes nomes como Cleena, Clídna, Clíodna, Clíona, Clidna Centfind. Todos eles são válidos.

Conhecida como Rainha Fada, rege a soberania, eloquência, cura, amor, beleza e mudança de forma. Quando retratada, a vemos cercada de pássaros cuja penas são brilhantes e o canto é doce a ponto aliviar a dor dos doentes. Os ovos desses pássaros são de cor carmesim que quem a come pode mudar de forma.

Há uma teoria de que Cliodhna foi uma Deusa da terra, é associada ás rochas do mar e descrita como uma banshee poderosa. Há uma história sobre a Deusa como banshee contou aos MacCarthys sobre a pedra da eloquência. A Blarney Stone, quando tocada com os lábios, daria a eloquência sem precisar da honestidade.

Como Cormac MacCarthy tinha uma problema judicial, ele recebeu dessa instrução e o fez conseguindo a perspicácia para se livrar do problema. No entanto, ele não queria que outras pessoas obtivessem a vantagem da pedra e por isso a escondeu na marulha do Castelo Blarney. Segundo a fonte dessa pesquisa, a pedra realmente existe e seu local é um ponto turístico.

Há também um mito que conta sobre o romance de Cliodhna e Ciabhán, que durante a fuga da Ilha Prometida ele fora pescar deixando a amada dormindo no barco. Algumas versões falam que Manannan controlou a maré para trazer a Deusa de volta á Terra Prometido. Já outras falam que

Danu

Também conhecida como Dana ou Anu, é a Deusa Mãe da mitologia celta. Dentro dos mitos, ela é a representação primordial da qual os Deuses e os Homens descendem. Dentro da cultura celta há uma tribo muito conhecida, os Tuatha de Danann, cuja tradução significa “Crianças de Danu”. Há lendas que contam que as pessoas dessa tribos, eram de fato descendentes dessa Deusa, de alguma forma.

Esposa de Beli, ela é mãe do Deus Dagda, Gwydion, Arianrhod, Gobannon e Nudd. Nas culturas de outros países, existem divindades com seus atributos como Isis da mitologia egipcia, Santa Ana da mitologia cristã e Don da mitologia galesa.

Ela rege a terra, água, abundância, plenitude da natureza, lar e família. Danu é considerada uma das Deusas mais antigas da cultura celta, e seu nome significa sabedoria e abundância. Além disso, o seu aspecto Feminino Divino é retratado como Deusa Tríplice, assumindo as faces de donzela, mãe e anciã.

Há um mito que conta após a derrota dos Tuatha de Dannan em uma guerra com os Milesianos, aqueles que sobreviveram refugiaram nas colinas e abaixo da terra. A partir de então, vem a referência á Fairy people, que remeteria á fadas. No entanto, podemos dizer que refere-se aos seres sobrenaturais que ali vivem, sob a proteção da Deusa Danu.

Percebemos a importância dessa Deusa, quando aprendemos a existência de um rio que recebeu de teu nome. O Rio Danúbio é importante, pois próximo a ele o povo celta se estabeleceu e desenvolveu.

Se quiser celebrá-la, o dia 31 de março é sua data oficial.

Morrigan

Deusa celta da batalha, fertilidade e conflito, cujo nome pode ser traduzido como “Grande Rainha”. Inclusive, há um debate entre os estudioso á respeito de Morrigan ser apenas a Deusa da fertilidade e ligada á soberania, ao invés de reger as guerras. No entanto, a maior parte dos mitos e retratações a mostram como uma divindade ligada a guerras e batalhas.

O corvo é um animal ligado á ela, que carrega uma representação da morte. Nos mitos é contado que quando um corvo está próximo, a morte está sendo anunciada para alguém. Sendo assim, Morrigan seria uma divindade que também trás a morte para um guerreiro durante uma batalha.

Morrigan ora é retratada sozinha nos mitos, ora junto de outras duas Deusas formando uma tríade. Faz parte da tribo Tuatha de Danann, e ajudou durante a batalha contra os Firbolg e os Formorianos.

Dentre os contos contados sobre si, o que mais se destaca é ao lado do herói Cú Chulainn (um herói celta semelhante á Hércules). A Deusa teria se apaixonado pelo rapaz por conta de seus atos heróicos, porém ao se declarar Cu Chulainn não a reconhecera e a rejeitou.

Furiosa com a rejeição, Morrigan disse que o impediria em batalha. Na primeira vez que se encontraram, a Deusa estava disfarçada de novilha vermelha (espécie de vaca), tendo de sua perna quebrada pelo herói. Na segunda vez, ela se disfarçou de enguia e tentou envolver as pernas do rapaz, acabando por ser pisoteada. Na terceira vez, a Deusa se disfarçou de um lobo cinzento, e tivera de seu olho espetado.

Em nenhum momento Cu Chulainn reconhecera a Deusa Morrigan. A última vez que ambos se viram, fora no momento que o herói morreu amarrado em uma pedra. Um corvo repousara em seu ombro, sendo sinal da Deusa.

Andraste

Deusa Celta da guerra, sendo semelhante á Morrigan. Era invocada antes das batalhas, onde soltava uma lebre para interpretar o seu curso no campo de batalha.

Não há muitas informações sobre essa Deusa. O que é contado é sobre as oferendas contendo sangue humano que ela recebia.

Airmid

Filha de Dian Cecht, é a Deusa da cura e da medicina. Considerada uma divindade antiga da mitologia celta, ela é quem detém os poderes da cura através das especialidades das ervas. Sendo assim, Airmid é capaz de curar os humanos e os animais.

Quando um dos seus irmãos, Miach, fora morto por seu pai, Airmid chorou em seu túmulo. Suas lágrimas caíram na terra e deram origem á 365 tipos diferentes de ervas, que cresceram em volta do túmulo.

Ela recolheu cada erva e as estudou, catalogando-as para saber o uso mágico e medicinal. Colocou as ervas em seu manto com o intuito de curar cada pessoa de qualquer enfermidade, no entanto o seu pai retirou das ervas e as derrubou no chão.

Ainda assim, ela o ajudou na cura dos Tuatha de Danann durante batalhas.

Druantia

Divindade celta das árvores e da fertilidade dos homens e plantas. Conhecida como a Rainha dos Druidas, é descrita como uma pessoa alta de cabelos espessos e amarelados tal como o trigo. A face ligada às Arvores, significa proteção, conhecimento, criatividade e crescimento.

Alguns autores falam que foi de sua autoria o calendário celtas das árvores, que segue o ciclo da lua.

É vista como uma divindade sábia e eterna, afinal os pinheiros e carvalhos permanecem com as folhas verdes até mesmo no inverno. Seu conhecimento ensina as pessoas os caminhos das floresta, simbolicamente um caminho da verdade.

Por conta dessa representatividade da magia verde, carrega o nome de Senhora das Fadas das árvores.

Epona

Deusa celta dos cavalos, podendo ser associada á terra e fertilidade. O significado de seu nome é traduzido como “Grande Égua”, e ela era cultuada em várias regiões como Deusa protetora dos cavalos, burros, mulas e os cavaleiros.

Antigamente, era responsável por guiar á cavalo as almas para o pós morte. Outras histórias falam que era hábil, capaz de se transformar em cavalo adquirindo a forma de uma égua branca-prateada.

Tendo essa ligação com a passagem para o outro mundo, é possível de haver outras representações animalescas junto da Deusa. Animais que representem a morte ou esse processo de passagem como o corvo e o cão podem ser encontrados.

Curiosamente, essa divindade é bastante popular a ponto de ser mantida mesmo durante as invasões. Povos de outras regiões (como os romanos), adotaram a Deusa e mantiveram seu nome e propriedades. Sendo assim, existiam templos e oferendas para Epona.

Morgana

Essa é uma divindade, ou uma fada, que é difícil de encontrar informações que não se envolvam com as histórias do Rei Arthur. Em alguns momentos é chamada de Deusa, em outras é tratada como um personagem da história que resgata o feminino. A confusão é imensa.

Em minhas pesquisas, tudo o que encontrei fora relacionado á história do Rei Arthur. Além disso, alguns autores e bruxos comentam sobre a relação de Morgana com a Deusa Morrigan, como se fossem a mesma pessoa. Não consegui informações que fosse convictas sobre isso, são apenas especulações.

Como Deusa, Morgana carrega a triplicidade consigo da morte e do renascimento. Tem o dominio dos ritmos de cada fase da vida, e alguns a consideram uma Deusa do mar por conta de seu nome. Os textos vangloriam de sua beleza, como se não houvesse nenhuma outra criatura tão bela quanto Morgana.

A história de Morgana conta que ela é meia-irmã de Arthur, porém ambos não viveram a infância tão unidos, pois ela fora levada para a ilha de Avalon aos 12 anos de idade. Ela fora treinada para ser uma grandiosa sacerdotisa, cuja última “prova” seria um ritual sexual no sabbat de Beltane. Morgana fora representando a lua e Arthur representando o sol, nenhum reconhecera o outro, e ainda assim se uniram sexualmente.

Desse ritual, Morgana engravidara, e seu filho viria a ser o inimigo do próprio pai no futuro.

A comunidade dessa figura feminina conta com nove sacerdotisas ao todos, que habitavam as ilhas britânicas. E apesar das histórias a colocarem como uma bruxa malvada, os pagãos da atualidade enxergam sua dualidade como algo sagrado. Principalmente aqueles que desejam estudar e vivenciar o sagrado feminino, irão se deparar com sua figura mais cedo ou mais tarde.

Flidais

Deusa da fertilidade e da abundância, podendo ser também da floresta e dos animais selvagens.

Tudo o que se sabe sobre essa Deusa é o retrato de andar em carruagens puxadas por cervos e veados.

Além disso, tem três filhas: Fand, Bé Chuille e Bé Téite.

Fontes

Além de Salém – Conhecendo Morrigan, a Deusa Celta da Guerra

Bosque das feiticeiras – Deusa Airmid

Bruxos do Luar – Deusa Danu e sua mitologia

Caminho pagão – Clídna Rainha Fada | Deusa Danu (Dana/Anu) | Epona | Flidais

Comunidade Amino – Morgana

Dez mil nomes – Danu, a Grande Mãe irlandesa | Druantia, senhora das plantas

Portal dos mitos – Morrigan | Epona

Projetos Gaia Paganus – Deusa Cliodhna

Unicórnio da Deusa – Deusa Andraste

Veja outros assuntos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.