Lifestyle Recomendações

7 filmes clichês japoneses para assistir

7 filmes clichês japoneses

Se tem uma coisa que eu adoro fazer no meu final de semana é assistir um filme. E hoje trouxe 7 recomendações de filmes japoneses, que abordam temas clichês que tanto adoramos.

Filmes clichês são sensacionais quando temos vontade de assisti-los. Por mais que seus enredos sejam óbvios e conhecidos, esperado por nós, não deixam de aquecer nossos corações. Principalmente quando estamos falando de romance.

Os japoneses não ficam para trás. A maioria dos filmes são live-actions, onde o original vem de um anime ou mangá. E como esses formatos já são carregados de clichês, é claro que a versão live-action não fica para trás.

Vou recomendar à você 7 filmes que são clichês maravilhosos de serem assistidos. Aproveitarei e montarei um ranking em ordem decrescente. Claro que irei aproveitar para fazer uma breve analise de enredo, mas se você gostar e quiser, posso fazer um post mais aprofundado sobre cada um deles.

Acredito que alguns, inclusive, já tem uma análise realizada aqui no blog.

Chega de conversa e vamos ao que interessa.

Sétimo lugar – High School Debut

Clichê: garoto popular e a garota impopular.

Um romance escolar interessantíssimo pelo clichê óbvio e a comédia pastelão.

O filme trás uma protagonista chamada Haruna que gosta de praticar esportes e é completamente desligada sobre o lado vaidoso da feminilidade. Não sabe se maquiar, não sabe se vestir, e muito menos tinha interesse em namorar. Isso até ela optar em se aposentar para vivenciar o amor.

Para poder encontrar o namorado ideal, Haruna pede ajuda do garoto mais popular de sua escola, Yoh. O garoto reluta de início, mas acaba cedendo com a condição de que Haruna jamais deve se apaixonar por ele. É claro que Haruna aceita esse acordo, e então os dois começam o processo de tornar a protagonista uma “beldade”.

A regra de não se apaixonarem cai por terra no meio do processo. Haruna começa a gostar do garoto ao perceber a forma como Yoh cuida e se importa com ela. Já Yoh percebe que a beleza de Haruna não é igual a das demais garotas, ela tem uma beleza própria que dispensa roupas com babados, voz manhosa e coisinhas fofas.

Inclusive, há uma cena em que Yoh busca por uma roupa ideal para Haruna, e quando ela veste uma camisa dele o rapaz fica surpreso. Ou seja, a coisa mais simples refletia a beleza natural da protagonista.

Acredito que essa seja a maior lição que o filme nos trás. A mulher é bonita e sensual do próprio jeito. Dispensa os acessórios e estilos que a mídia mostra, cada mulher tem o seu próprio estilo.

O romance ocorre de forma sutil e lento, pois Haruna se controla em não gostar de Yoh. Digamos que ela é fiel ao seu princípio de cumprir sua parte do acordo. Já Yoh, bem precisou de alguns toques, sentir um tico de ciúmes, para se dar conta do que sentia pela Haruna.

Sexto lugar – Kinkyori Renai

Clichê: romance entre aluno e professor.

Diferente do anterior, a fotografia desse filme é um pouco mais fria e dramática. Afinal é um romance entre aluna e professor, que é um assunto delicado no Japão. A carreira de um professor pode acabar com ele sendo impedido de ensinar em todo o país. Então, já sabemos que esse tipo de clichê é dramático.

Aqui temos Yuni Kururugi, uma garota do ensino médio inteligente, porém de fisionomia fria. Ela é completamente diferente dos outros jovens por ser extremamente racional, e dificilmente mostrar suas emoções para as pessoas. Se fosse fazer um paralelo à psicologia corporal, diria que é de caráter esquizóide.

Completamente diferente do professor de inglês Haruka Sakurai, jovem e bonito atrai a atenção de suas alunas sendo popular.

Acontece que Yuni não consegue uma boa nota em inglês, e a equipe pedagógica pede que o professor dê aulas extra-curriculares para que a garota aumente sua nota. É claro que o professor aceita, e passa a lhe dar as aulas.

No decorrer do filme, Yuni se apaixona pelo professor e encontra muita dificuldade em entender e expor suas emoções e sentimentos. Tanto é que a melhor cena é ela se declarando em plena aula, escondendo-se debaixo do púlpito. Ela escreve seus sentimentos no caderno e mostra ao professor, que a beija.

O relacionamento dos dois é mantido em segredo, porém com a antiga colega e ex-namorada de Sakurai na escola eles são pegos. No entanto, os dois vão dando um jeito de manter o segredo longe dos ouvidos do diretor da escola, ao tempo que trabalham com seus sentimentos.

Esse filme é muito bonito principalmente por vermos o desenvolvimento de Yuni. Não é fácil para ela lidar com seus sentimentos, principalmente por ser a primeira vez que se apaixona. É claro que o professor vai ajudando ela no que consegue, mas o relacionamento deles é “proibido” o que complicam as coisas.

Quinto lugar – Ore Monogatari

Clichê: romance entre o garoto feio com a garota bonita.

Esse clichê é o inverso da feia mais bela, seria o feio mais belo. Retornamos para uma comédia romântica linda e fofa.

Takeo é um garoto do ensino médio que bota medo nas pessoas mesmo ele sendo um rapaz gentil. Devido à sua aparência brava e corpo robusto, ele passa a impressão de ser um delinquente ou ladrão. Ele tem o melhor amigo que é completamente o oposto, sendo um dos garotos mais bonito da escola, e isso é importante para o enredo.

Em um determinado dia, Takeo percebe que uma garota está sendo assediada e a salva. A garota é Rinko, estudante de outra escola e uma garota bonita e meiga. Como agradecimento por ter sido salva, Rinko pede para se encontrar com Takeo, que acaba levando o melhor amigo Makoto.

Nesse encontro, a garota entrega um delicioso lanche e pede para que eles se encontrem com ela todos os dias. Takeo interpreta isso como um pedido silencioso para que ele apresente seu amigo à ela. No entanto, Rinko não está interessada em Makoto, mas sim apaixonada pelo próprio Takeo.

O filme aborda o relacionamento desses dois, e com Makoto ajudando os dois a ficarem juntos.

Tanto o filme quanto o anime são maravilhosos, sendo uma excelente recomendação. Sai completamente do padrão que vemos por aí, e ainda temos um sentimento romântico legítimo.

Inclusive, recomendo que vejam as cenas dos créditos (eles tentando andar de mãos dadas parece que estão dançando tango), e a cena pós-crédito… Takeo pede ajuda de Makoto para beijar… é hilário… pobre Makoto.

Quarto lugar – Suki tte ii na yo

Clichê: garota introvertida se apaixona pelo garoto popular da escola.

Mais uma vez entramos no clichê de uma garota impopular se apaixonando pelo garoto mais bonito da escola. Só que esse romance aborda um tema muito importante: bullying. Todos os personagens já se envolveram, de alguma forma, com a situação de bullying. Situações essas que impactaram suas vidas.

Mei é introvertida, não tem amigos, prefere ficar sozinha acaba chutando Yamato e o machucando, quando o melhor amigo do rapaz tenta olhar por debaixo de sua saia. Yamato se apaixona no mesmo instante pelo chute que recebeu, e começa a ir atrás da garota que o ignora completamente.

É claro que as fãs de Yamato não gostam da situação e começam a encher a garota sobre a situação. Sendo assim, Mei pede desculpa e pega o número do rapaz.

Saindo do trabalho, Mei percebe que está sendo seguida por um cliente regular do seu trabalho. Ela entra em uma livraria e tenta ligar para sua mãe, que não lhe atende. Sua única saída foi ligar para Yamato e pedir sua ajuda, que vem imediatamente.

Para afastar o suposto stalker, Yamato beija Mei dando a entender que a garota estava acompanhada. A partir de então, os dois começam um relacionamento.

Yamato apresenta seus amigos à Mei, que de uma forma ou outra mostram que também sofrem, ou sofreram, alguma situação de Bullying. Inclusive, um amigo de Yamato encontra em Mei o amparo necessário, os dois ficam bem próximos e o rapaz se apaixona pela garota.

Triangulo amoroso é o que não falta nesse filme, e eles foram colocados de forma estratégica para que tanto Mei quanto Yamato se deem conta dos próprios sentimentos, e de como demonstrar um para o outro.



Terceiro lugar – Lovely Complex

Clichê: os opostos se atraem.

Um dos animes mais populares do Japão não deixaria o seu live-action não levasse a mesma fama. Lovely Complex é um dos maiores clichês e muito popular pelo romance entre os protagonistas que tem sérios problemas em relação à sua altura.

Temos aqui Risa e Otani que levaram um fora de seus paqueras devido a altura deles. Segundo o senso comum, pessoas de alturas diferentes não são bem vistos. Por isso os dois resolvem procurar por um parceiro que seja à altura.

Acontece que esse complexo dos dois faz com que Otani e Risa vivem brigando, criando apostas e tudo mais. No meio disso, Risa se apaixona por Otani, até chega a se declarar mas ele não a leva sério. Deplorável.

Como os dois vivem brigando e são de alturas diferentes, é claro que as pessoas em volta enxergam como uma dupla de comediantes. No decorrer do filme, Risa fica cada vez mais apaixonada por Otani, até que chega um ponto em que deixa claro o quão séria está sobre seus sentimentos. Somente vendo a amiga chorar é que Otani se dá conta de que a declaração é verdadeira.

Os dois constroem a relação lentamente, mas tudo desanda quando um professor bonito entra na escola e toma toda a atenção de Risa. Com o coração partido pela demora de Otani em lhe responder, Risa encontra conforto em um professor que afronta o garoto indiretamente.

Esse filme é uma comédia romântica leve, cheia de piadas pastelão. Muito gostoso de assistir em uma tarde de domingo.

Segundo lugar – Sensei

Clichê: romance entre aluna e professor.

Ah… que dor no coração em deixa-lo em segundo lugar. Amo esse filme, ele é um dos meus preferidos. Mas deixei em segundo lugar, pois o primeiro eu já comentei aqui no blog. Só por isso… pois os dois…ah estou sofrendo.

Vamos lá.

Esse filme também aborda o relacionamento entre aluno e professor, porém ele tem uma abordagem diferente de Kinkyori Renai.

Hibiki é uma aluna do ensino médio que tem dois amigos que se apaixonaram por seus professores. Acompanhando a saga deles, ela fica se perguntando como é se apaixonar e, principalmente, por alguém que nunca poderá corresponder aos sentimentos. A protagonista nunca se apaixonou por alguém, e por isso essa questão do amor é uma incógnita para ela.

Até ela se apaixonar pelo professor de história.

Ito é um professor esteriotipado, esquisito, anti social, sério e rabugento. Aquele tipo de professor que nunca pensaríamos que iria se casar com alguém, justamente por ser sério demais. Ainda assim, Hibiki se encanta com o seu professor e ele começa a aparecer em diversas situações para a ajudar.

Nessas pequenas situações, os sentimentos da garota vão se aprofundando cada vez mais e se tornando insuportáveis de manter para si mesma. Ela chega a perguntá-lo se estava tudo se apaixonar por ele. Caso tirasse uma nota alta na prova, ela poderia ter a permissão dele de continuar o amando, mesmo que não fosse correspondida. E ela consegue essa nota.

Diferente de Kinkyori Renai, onde o professor embarca no romance, o professor Ito desestímula a aluna a continuar com seus sentimentos. Só que ele mesmo vai se encantando por ela, e até a beija ao vê-la vestida de noiva.

Nesse filme eles também são descobertos por alguém, no entanto o desfecho é bem diferente. O final é muito bom e satisfatório, devo dizer.

Agora me deu vontade de assisti-lo.. oh céus.

Primeiro lugar – Kimi ni todoke

Clichê: romance entre a garota impopular e o garoto popular.

Pelos céus, lá vou eu surtar de novo com esse filme.

Sawako é uma garota tímida e introvertida, cuja aparência é comparada à Sadako (Samara do filme O Chamado). Todos tem medo dela por conta de seu imenso cabelo que cobre o rosto e a voz arrastada, e na escola chegam a criar boatos falsos de que ela conversa com fantasmas e é capaz de invocá-los.

No primeiro dia de aula ela se depara com Kazehaya, que estava perdido e não sabia onde a escola ficava. Ela o ajuda, ele a agradece e não demonstra nenhuma repulsa, medo ou quaisquer outra reação que outras pessoas o fariam. Na verdade, Kazehaya se apaixona por Sawako naquele instante.

Kazehaya se aproxima de Sawako e conquista sua amizade lentamente. Além disso, a garota faz suas primeiras amizades (que também são amigas próximas de Kazehaya), onde vivencia várias “primeiras vezes”.

O filme mostra o desenvolvimento de Sawako em fazer novos amigos, em sair do esteriótipo de garota fantasma, e também a faz perceber seus sentimentos. Ela vai nomeando as emoções até que se perceba apaixonada por Kazehaya.

Esse filme é muito leve, bonito e fofo de ser assistido. O casal principal é maravilhoso, onde os dois constroem a relação com toda a calma e paciência, seguindo o próprio ritmo. Sem falar que o desenvolvimento de Sawako é bonito de acompanhar, pois ela é muito introvertida e tímida e vai se apegando aos amigos no decorrer do enredo.

A parte principal desse filme é que Kazehaya vai ajudando a Sawako a lidar com os obstáculos de se relacionar com as pessoas, de modo geral. No anime, inclusive, tem cenas dela ajudando os colegas ensinando as matérias e quando todos agradecem (por terem finalmente entendido a matéria) ela dá um sorriso tão lindo que todos ficam surpresos.

Ela não muda a aparência, ela não muda seu jeito de ser para agradar aos outros como vemos em tantos outros clichês. Aqui ela permanece a mesma, apenas interagindo mais com as pessoas. Os outros é que vão percebendo que ela é uma garota bonita, meiga e gentil.



Conclusão

Ufa, falei demais não?

Todos esses filmes podem ser encontrados na internet legendado. São excelentes filmes, alguns mais puxados para comédia enquanto outro mais voltados para o drama.

Kimi ni todoke, Ore Monogatari, Suki tte ii na yo e Lovely complex tem sua versão anime, que eu recomendo assistirem. Pelo motivo de que no anime existem tantas outras cenas que nos filmes não aparecem.

Percebam que esses filmes contém clichês que foram trabalhados de forma diferente. Nenhum deles seguiu a regra à risca, o que torna cada um deles um clichê único.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Recomendados