Caminho da Lua Mitologias

Mitos de Ártemis

Mitos de Ártemis

Vamos conhecer alguns mitos que envolvem a deusa Ártemis, a deusa da caça, do parto, da fertilidade e da virgindade. Então daremos início as histórias sobre essa deusa tão popular.


O nascimento da Deusa

   Ao que tudo indica, Ártemis é filha de Leto e Zeus, fruto de um relacionamento extra-conjugal. Quando tal relacionamento fora descoberto por Hera, a deusa não deixou que Leto desse á luz, passando a literalmente caçá-la. Todos sabemos que Hera é uma esposa ciumenta e sempre caça as amantes de Zeus.

  Por conta disso, Leto foi obrigada a estar sempre fugindo, mesmo grávida. Quando chegou na ilha de Delos, ela deu a luz a Ártemis. Contudo, ainda havia uma segunda criança a nascer, e Leto continuava a correr perigo nas mãos de Hera. Sendo assim, Ártemis ajudou a mãe a parir a criança seguinte, que seria o gêmeo de Ártemis, Apolo.

    Levando em consideração ter ajudado a mãe a parir seu irmão gêmeo, Ártemis passou a ser a divindade do parto. Ao mesmo tempo que seria zelosa com esse momento, ela também é conhecida como uma divindade que poderia castigar as mulheres.

   Aqueles que durante o parto acabavam por falecer, dizia que foram tocadas pela ponta de suas flechas. 

Ártemis e Apolo, dois irmãos apegados

   Segundo os mitos, Ártemis seria como uma versão feminina de Apolo. Enquanto ele era representado pelo sol, ela era representada pela lua. Ambos eram bastante unidos, o que poderia chegar ao ponto de Apolo sentir ciúmes.

  Isso é revelado em um dos mitos em que provavelmente Ártemis teria se apaixonado por um gigante chamado Orion. Ele acompanhava a deusa em suas caças e era devoto a ela o que despertou ciúmes em Apolo.

  Por ser muito ligado à água, uma vez Orion nadava distante da costa deixando apenas sua cabeça fora d’água, o tornando irreconhecível a distancia. Apolo, então, apostou com a irmã quem seria capaz de acertar um alvo qualquer no oceano. Como a Ártemis é bastante competitiva, aceitou o desafio e acertou sua flecha na cabeça de Orion, sem saber que se tratava dele.

    A flecha acabou levando a morte para Orion, deixando uma deusa bastante magoada pelo feito. Dizem que Ártemis, sofrendo com a morte do amigo, o colocou em meio as constelações.

  Em outras versões, Orion teria tentado estuprar Ártemis e por conta disso ela o matou com suas flechas, ou então teria tirado sua vida com um escorpião. Uma outra versão era de que Gaia teria enviado tal escorpião. Ou teria sido Apolo que enviou o escorpião? Nessa versão, para proteger a irmã, Apolo mandou tal escorpião e Orion não deu conta de matar a criatura e por isso se refugiou no mar.

  O momento seguinte teria sido toda a aposta que o deus do sol fez a irmã e o resultado que culminou.  Outro mito que temos de Ártemis e Apolo juntos envolve o assassinato dos 14 filhos de Níobe. Esta se tratava de uma mortal que foi capaz de dar a luz à 14 filhos, sendo 7 homens e 7 mulheres. Tal feito era o maior orgulho de Níobe, que se opunha a qualquer pessoa, dentro do seu reino, fosse devoto aos deuses.

   Acontece que Leto, mãe dos gêmeos, era adorada em alguns templos no reino de Níobe, o que despertou uma fúria imensa na rainha. Tomada por tamanho ódio, Níobe ofendeu e humilhou Leto por ter dado a luz somente a dois filhos, enquanto ela mesma deu a luz á 14.

   Ver a mãe sofrendo fez os irmãos se unirem e tomarem suas dores, passando a punir Níobe. Dizem que Apolo teria acertado suas flechas em todos os filhos homens, e Ártemis em quase todas as filhas mulheres, deixando apenas a mais jovem entre elas. 

Uma deusa intocável e devota

  Segundo os mitos, Ártemis teria pedido enquanto criança para que Zeus a desse a virgindade eterna. Acontece que até mesmo suas seguidoras deveriam ser virgens, e assim elas ganhavam toda a proteção da deusa, punindo aqueles que ousassem tocá-las ou que ousassem as espiar em seus banhos.

   Dentre os mitos que contam sobre sua raiva em homens que ousassem desrespeitar as mulheres, encontramos o personagem Acteon. Ele era um grande caçador que sempre acompanhado por 50 cães que o auxiliava em suas caças.

   Houve um momento que ele espiou Ártemis e suas ninfas em seus banhos, e como punição a deusa o transformou em um veado. Como a transformação não fora o bastante, a deusa guiou os cães a caçarem o próprio mestre, e que o devorasse.

  Outro mito envolvendo a virgindade é a de Calisto, uma das seguidoras de Ártemis sendo também virgem. Acontece que Zeus mudou sua forma apenas para estuprar a moça, que acabou por engravidar de Arcas. Em algumas versões, Calisto teria sido transformada em ursa maior por Zeus depois que Hera a matou, enquanto por outras fora Ártemis que a transformou por ter perdido sua virgindade.

  Sobre sua devoção, os mitos contam sobre Ártemis ser a deusa da vegetação e da fertilidade, e por conta disso sua conexão com a natureza era imensa. Se alguém ousasse sacrificar uma árvore, a punição era certa.

  O rei de Calidon teria sido um que esqueceu de oferecer à Ártemis os primeiros frutos da colheita, e acabou castigado pela deusa com um javali que dificilmente alguém derrotaria. Outro personagem que recebeu de seus castigos fora Erisicton, que derrubou as árvores frutíferas da deusa Deméter. 

Conclusão

  Ártemis era uma deusa da serena luz, sendo considerada a mais pura e casta entre das deusas. Era boa em arco e flecha, sendo esses os presentes de seu pai, e quando alguém dizia ser melhor que ela, a deusa tratava de mostrar que não eram.

Fontes

Portal São Francisco: Ártemis
Portal dos mitos: Ártemis
Mitologia Grega: Ártemis, a deusa casta e justiceira
Mitologia Grega Br: Ártemis, a deusa grega da lua

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Recomendados