experiências de vida
Lifestyle

As experiências de vida e seus significados

No post de hoje quero conversar com vocês sobre o impacto que as experiências tem nas fases da vida.

O motivo desse assunto estar sendo abordado é justamente para vermos o desenvolvimento dos personagens com realidade. Afinal de contas, para uma pessoa evoluir é necessário uma experiência com impacto forte o suficiente. Vai além de apenas surgir uma reflexão e um desejo de mudar.

O que são experiências de vida

Quando falamos de experiências de vida, não estamos tratando apenas os grandes eventos. Por exemplo, uma situação que faz a pessoa ter um trauma ou desenvolve uma fobia.

Não. Vai além.

Cada interação que fazemos com as pessoas, ambientes e objetos em nossa volta é uma experiência. Ás vezes pensamos que trata-se da primeira interação que fazemos, porém cada momento diferente gera uma experiência diferente.

Vamos ilustrar isso para vocês entenderem melhor.

Uma criança tem medo de cachorro, e quando os pais levam a criança na casa da avó, ela interage com um maltês.Um cachorro de pequeno porte, bem peludinho e fofo, não costuma avançar na criança. Ele é mais velhinho e por isso não sente tanta vontade de brincar, mas aceita os carinhos que a criança lhe faz.

Os pais vão pensar que a criança perdeu o medo, e optam por adotar um filhote.

O filhote, diferente do maltês da vovó, é cheio de energia, quer correr para lá e cá, rói os móveis, morde e destroça chinelos. Quando a criança vai fazer carinho nele, o cachorrinho acaba mordendo a mão da criança.

Não era a intenção do filhotinho, pois seus dentes estão crescendo e ele acaba mordendo tudo. Mas a criança se assusta, pois nunca passou essa situação com o maltês da vovó.

Então a criança chora e tem medo do filhote.

Percebem como a percepção da pessoa irá mudar, mesmo que já tenha experienciado algo uma vez?

A importância e o significado dessas experiências de vida

Esse é o segundo ponto que precisamos estar atentos, pois é o que mais pesa em cada experiência.

Vivenciamos situações diferentes todos os dias, mas somente aqueles que damos maiores significados, é que ficam marcados em nossa memória.

Não são significados voltados para o negativo, como o medo, tensão e nervosismo. Alegria, euforia, questionamento, até mesmo algo engraçado também nos marcam.

No exemplo citado anteriormente, o que vai marcar essa criança será a surpresa de ter sido mordida, junto de uma leve dor e o medo de ser machucada pelo filhote. Por algum tempo ela continuará a ter medo do filhote, porém os pais podem explicar que não foi uma mordida maldosa, e sim um chamado para brincar.

Com um pouco de incentivo, a criança tornará a tentar fazer carinho no filhote, e ela conseguirá. Assim ganha confiança e perde o medo de cachorro.

No futuro, quando for lembrar dessa situação, é provável que ria de si mesmo por sentir medo de um pequeno filhote. E quando for contar para alguém, talvez vejamos uma nostalgia ou emoção saudosa por um filhote que agora está ficando velho e sem energia para brincar.

Tudo o que nos marca nessas experiências são os sentimentos/emoções e significados que nós mesmos damos á ele. E quando o tempo passa, somos capazes de resignificá-los.

Exemplo de experiências de vida em livros de ficção

Um livro que considero rico nesse sentido é o Easy de Tammara Webber. Lucas é o protagonista masculino envolto de mistérios (pois o livro é narrado do ponto de vista da protagonista feminina), mas que sempre aparece em situações ligadas á defesa das mulheres contra abusadores.


Leia também: Resenha de Easy – Tammawa Webber


E ele tem uma opinião forte sobre o assunto.

Quando conhecemos a história de Lucas, lá no final do livro, compreendemos que houve uma situação em sua infância/pré-adolescência, que o fez sentir medo e entender o que acontecia com as mulheres.

Após o ocorrido ele refletiu sobre o assunto, e tomou a decisão de ser instrutor de defesa pessoal.

Ou seja, houve a situação (no caso, ele jamais havia visto algo do tipo), que o impactou e desestabilizou. Essa desestabilização força o personagem á sair de sua zona de conforto, pois é algo inesperado e nunca vivenciado.

Assim ele é obrigado á lidar com essa situação nova, á se acostumar com ela. Pense que a pessoa ficou perdida e precisa encontrar seu caminho de volta á zona de conforto (que agora precisa ser expandida).

A partir da reflexão sobre como se sente em relação á situação, e se ele teria coragem de encarar algo de volta, pode surgir uma nova motivação. No caso de Lucas, ele poderia continuar sua vida comumente, ou poderia ter continuado nas drogas, mas ele preferiu mudar.

No caso dele, houve uma segunda situação similar á primeira, que reforça todos os sentimentos anteriores e o desconforto que causam nele. Nesse momento Lucas opta por fazer diferente (daí a motivação).

Por que é necessário ter isso nos livros?

Fazer o seu personagem vivenciar experiências que irão impactar cada fase de sua vida são necessários para mostrar ao leitor que isso é esperado.

Principalmente se o seu público alvo for adolescentes. Entenda, cada fase da vida tem suas angústias e sofrimentos, que nos fazem pensar se somos esquisitos ou fora do padrão. Mas tudo isso é normal, e precisamos lidar com firmeza.

Os personagens de livros são os melhores motivadores para esse fim. Principalmente quando o leitor está passando por uma situação similar, e todo o sentimento dos personagens geram empatia e conexão com o leitor.

Lembre-se que estamos, constantemente, ensinando algo á nossos leitores. Queremos que vão além de uma simples leitura comum.

Como fazer o personagem experienciar algo que impacte sua vida

Muito bem a teoria é linda, mas agora precisamos da prática.

O seu personagem precisa se desenvolver no decorrer da história, e para isso é necessário ele entender que o antigo eu não lhe serve mais.

A evolução é o resultado de uma reflexão, quando o personagem se torna consciente da vontade de mudar. Essa mudança é necessária, pois o personagem aceitou encarar o desafio que lhe foi proposto.

Lembre-se da jornada do herói, quando o protagonista recebe o chamado e o recusa, mas no final das contas acaba partindo de qualquer maneira. Quando ele parte nessa aventura, tudo é desconhecido, cada cena é uma experiência diferente que lhe causará uma impressão, despertando sentimentos e emoções.


Leia também: A jornada do herói: técnica de escrita cíclica


Cenas de batalhas costumam ser as mais impactantes, pois o personagem acaba tendo sua vida em risco. Só isso é o suficiente para levá-lo á reflexão, nem que seja sobre sua própria mortalidade e fraqueza.

Se deparar com algo que parece mais forte e grandioso geram medo e receio.

Deparar-se com a beleza o faz perceber que há coisas belas no mundo e que ele jamais as viu.

Fazer novas amizades lhe dá coragem, conforto e segurança nesse mundo tão desconhecido.

Ou seja, faça o seu personagem reagir ás situações. Ele pode se surpreender com uma coragem jamais vista (afinal, até então ele não precisava lutar). Pode perceber que é mais fraco do que achava.

Uma vez que ele reage, espere um momento calmo para fazê-lo refletir sobre como se sentiu e aí ele dará significado á aquela experiência. A partir de então, ele precisa tomar a decisão de seguir um caminho: continuar como está, regressar ou seguir em frente.

Quando ele opta por seguir em frente, só há o caminho da mudança. Para ele continuar, vai ter que mudar.

Conclusão

As experiências de vida são essenciais para o nosso desenvolvimento, não importa se será um impacto bom ou não. As pessoas não desenvolvem traumas do nada, muito menos criam coragem para mudar do nada.

Tudo envolve uma reflexão sobre o significado de uma experiência de vida.

Veja outros assuntos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.