Maji-kyun renaissance: a magia da arte

O anime que irei analisar hoje contém magia e arte em mesma sincronia, ligados à expressão de sentimentos. Majikyun-renaissance é leve e meigo para ser assistido no final de semana.

Quem conhece o anime “Uta no prince-sama” já deve estar familiarizado com sua temática. Majikyun carrega a mesma energia, onde temos um harém reverso (protagonista feminina rodeada de personagens masculinos) e a expressão da arte.

Já aviso que toda análise feita por mim contém spoilers. Se você não assistiu, não dê continuidade á esta leitura. Recomendo que veja antes de ler aqui.

Sinopse do anime

Um mundo onde a arte se torna mágica. Neste mundo, as pessoas que podem inspirar paixão com suas artes mágicas são chamados Artistas, e são empregados no show business.

Em Hoshinomori Private Magical Arts High School, onde Artistas são ensinados, uma nova e estranha estudante chamada Ohana Aigasaki, se transfere para a escola. Ohana é colocada no comitê de planejamento para o festival cultural anual, a Festa de Verão de Hoshinomori, da escola.

Ela passa a vida escolar romântica dela com seis outros meninos que visam tornar-se artistas no futuro. Cada um dos meninos é especializado em suas próprias Arts, e tem como objectivo tornar Hoshi Fes um sucesso.

Além disso, os meninos também tem como objectivo ser escolhido ao lado de Ohana como príncipe e princesa Artista da escola, escolhido uma vez por ano (Animes Online).

Como a magia é expressa na arte

Pois é minha gente, nesse anime a arte é o ponto principal. Então não fica focado em apenas uma coisa, tem escultores, cantores, dançarinos, músicos, atores, etc. Exploraram tantas áreas da arte que ficou bem diferenciado.  

Quando eles mostram sua arte, a magia fluí dela como uma forma de expressar a sua beleza. As pessoas se encantam tanto com essa magia na arte, que há uma escola particular para ensinar os alunos a lidar com sua arte e entrar no mundo do entretenimento.    

Acontece que a nossa protagonista é filha de uma Artista bem famosa, ela criava arranjos de flores deixando as pessoas encantadas com sua magia. E Aigasaki precisa aprender a desenvolver a sua própria arte, porém começa a imitar a magia da mãe, que foi seu único modelo. Por conta disso, no início a personagem tem um pouco de dificuldades de exibir a sua magia na arte.  

Claro que a protagonista aprende que precisa se desenvolver, e ela corre atrás disso. Só que a presença da mãe, e de tudo o que ela representa, é forte durante todo o anime.


Leia também: Análise de enredo – Fruits Basket


Maji-kyun e sua protagonista

Tudo fica mais claro quando Teika surge, afirmando que ele e a protagonista são rivais. Aparentemente os irmãos mais velhos de Teika tinham uma rivalidade intensa com a mãe de Aigasaki, mesmo que ela não se importasse com isso. Teika imagina que ele também deve seguir os irmãos, mas Aigasaki tem a mesma postura da mãe em não se importar com quem é melhor que quem.

Outro ponto de magia que chama atenção é quando a pessoa se torna um tanto quanto obsessiva com a própria arte, ela pode se perder e ficar doente. Quando o artista pratica sua arte, a magia se torna inconsistente e pode até quebrar.  

Na maioria dos casos, a pessoa se torna incapaz de praticar a arte novamente.  

Realmente tem um ponto em que a Aigasaki se torna um pouco obsessiva, pois ela está empolgada com a própria arte e quer, cada vez mais, seguir os passos de sua mãe. Só que não percebe quando está extrapolando o seu limite. É aquela coisa do protagonista ignorar a própria dor até ele cair com tudo quando vem as consequências.

Temos romance em maji-kyun?

Se você espera um romance concreto, esqueça. O anime é um harém reverso simples, então o final é bem aberto, e a questão do romance não chega a ser tão aprofundado em todo o anime.  

O foco dele acaba sendo na amizade mesmo.    

Os garotos podem até ter algum sentimento por ela, mas não podemos dizer o mesmo de Aigasaki. Ela é daquelas protagonistas que gosta de aproveitar o momento juntos.    

Admito que torci um pouco para o Teika, já que ele era o mais teimoso em admitir que gostava de Aigasaki. No final, quando ele finalmente se liberta da pressão dos irmãos, é que as coisas fluem naturalmente.  

Então o romance clichê fica por conta de nossa imaginação mesmo.

O crescimento de cada personagem

 Todos os rapazes tem seus próprios dilemas a serem resolvidos. O anime divide episódios para que possamos conhecer um pouco mais da história de cada um deles, que recebem ajuda de Aigasaki para enfrentarem seus dilemas.  

Ou seja, a amizade surge no momento em que mais se precisa. Aigasaki se intrometia mesmo, se preocupava e não escondia seus sentimentos pelos rapazes. Ela queria ser “útil” á eles, queria ajudá-los da mesma forma que ela é ajudada por eles.    

O que mais me impressionou foi o Rintarou, que apesar de querer ser escultor igual ao avô, ele não consegue passar nas avaliações de arte. Quando estava prestes a ser expulso, acaba encontrando uma nova arte que ele nem tinha se dado conta que conseguia exercer, a de cozinhar.    

Considero a história dele a mais interessante, pois ele parecia mais desesperado por ter sido recomendado a sua saída da escola. Os demais não chegaram a esse tanto.  

Então podemos colocar uma linha em que Aigasaki enfrenta um pequeno dilema com sua própria arte, em seguida vem os rapazes, e por último o grande conflito de Aigasaki quando ela fica doente.  

Infelizmente não sabemos o que se deu depois que eles se formaram… queria saber haha.    

A amizade deles ficou tão grande, que depois de ter acabado o festival mais esperado, eles queriam permanecer como um clube de eventos. Algo que a escola não tinha, e que poderia ser ótimas formas de estimular os alunos a mostrar suas artes.    

Com certeza eles não queriam se separar e tomaram essa decisão enquanto ainda estavam na escola. Imagina fora dela então. Ah céus, como eu fiquei curiosa viu.

Conclusão

O anime é bem curto, contendo 12 episódios. Não há tramas muito pesadas e nem muito drama, digamos que é curto e grosso. O objetivo é esse então focaram naquilo e fizeram.    

Recomendo para quem gosta de animes que não tenha muitos detalhes e seja bom de passar o tempo. Algo para você não se apegar muito.  

Porém, não vá achando que sairá do último episódio achando que ele é ruim não, pois pelo menos uma lição você irá tirar dos episódios. Por cada personagem ter o seu motivo para fugir dos problemas e ignorar suas soluções, você aprende com eles. Não é a mesma coisa com um e com o outro.  

Então, foquem nisso! Esse é o ponto forte de todo o enredo do anime: lidando com seus conflitos e aceitando suas verdadeiras vontades e habilidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia sobre esses artigos
5 passos para iniciar a Bruxaria Natural Lista de leitura para Bruxinhos Iniciantes Como começar na Bruxaria Natural