Recomendações

Análise de enredos: Fruits Basket

fruits basket

Na análise de enredo de hoje, iremos ver maldições, astrologia chinesa e muitos traumas psicológicos. Tudo isso com uma pitada de romance e comédia para tirar toda a tensão que o anime Fruits Basket apresenta para nós.

Se você é novo no Lua Natural, quero fazer uma breve introdução do que é o análise de enredos. Como eu adoro ver animes, então me submeto a analisar todo o enredo daquilo que assisto. Como o objetivo é entender o todo, não tem como não contar alguns detalhes dos episódios.

Então… alerta de spoiler!

É provável que você encontre muita inspiração para escrever sua história, além de perceber como que foi construido o enredo de animes bem conhecidos e populares por aqui.

Vamos lá então?

Conhecendo o enredo de Fruits Basket

A história gira em torno de Honda Thoru, uma garota por volta dos seus 15 anos de idade que recém perdeu sua mãe em um acidente. A garota passaria a viver com o seu avô paterno (sendo que o pai também já é falecido), porém a casa do mesmo iria ser reformada, e o avô ficaria na casa de um parente.

Ele pergunta se Thoru poderia ficar na casa de alguma amiga por um tempo, até que a casa ficasse pronta. No entanto, a garota imagina que suas duas amigas não poderiam lhe receber, mesmo sabendo que elas o fariam. Uma delas morava em um apartamento pequeno com o pai, e a outra tem uma família grande.

Imaginando que seria um tormento, Thoru opta por morar sozinha, mas sem contar à ninguém. No final das contas, tudo o que ela consegue é viver em uma tenda no meio de uma montanha.

Um dia antes de ir para escola, ela percebe que há uma casa próximo de onde fica sua tenda. Como nunca percebido, resolveu dar uma olhada para saber quem vive ali. Para sua surpresa, o morador da casa é um colega de classe, que é imensamente popular por sua beleza.

A partir de então, Thoru passa a se relacionar com Yuki Soma (o garoto popular). Devido á um desbarramento de terra, a tenda que Thoru mora é destruída. Yuki então a convida para morar junto consigo e seu primo, Shigure, até que as reformas na casa do avô termine.

O zodíaco chinês e a maldição

Passando a morar na casa de Yuki e Shigure Souma, Thoru percebe que seu colega de classe é alguém distante, como se guardasse um segredo.

Tudo fica claro quando um garoto de cabelos laranjas chamado Kyo surge na casa, louco para iniciar uma briga com Yuki. Quando Thoru vai apartar, acaba abraçando Kyo que se transforma… em um gato.

Isso mesmo.

Como se não bastasse, acidentalmente a garota abraça Yuki e Shigure também, que se transformam no rato e no cão respectivamente.

Então somos introduzidos ao tema central do anime que engloba o zodíaco chinês. Para quem não sabe, ao invés de termos os doze signos que conhecemos, esse horóscopo carrega doze animais.

São eles: rato, cão, boi, dragão, javali, galo, ovelha, tigre, cobra, cavalo, coelho e o macaco. Há também o gato, porém o mito narra que ele não foi capaz de ir no banquete que Deus fez para os animais, pois havia sido enganado pelo rato.

Basicamente a família Souma é amaldiçoada pelos espíritos dos animais. Quando eles são abraçados pelo sexo oposto, se transformam no animal. Sendo assim, a família Souma é muito rígida sobre quem pode saber ou não sobre essa maldição, e a relação com outras pessoas.

A briga entre rato e gato

Por conta do gato ter sido enganado pelo rato, quem recebe os espíritos desses animais acabam sendo “inimigos” por natureza. Tanto que o Yuki e Kyo vivem discutindo, sendo que o último tem uma sede grande de derrotar o outro em uma luta. E, claro, ele nunca consegue.

No entanto, é possível perceber na segunda temporada que o espírito do gato não é o único a ter rancor do rato. O boi também teve um certo rancor, pois o rato pulou nas costas do boi durante todo o caminho da festa, e quando o boi iria ser o primeiro, o rato pulou na frente.

Inclusive, á nivel de curiosidade, o ano do rato é o primeiro do ciclo do zodíaco chinês.

Por conta disso, o boi passou a ser visto como alguém bobo que é facilmente passado para trás.

Tudo piora quando as pessoas que não são amaldiçoadas espalham rumores sobre esse senso comum.

Por que isso seria uma maldição?

Devo dizer que pesquisei muito sobre esse assunto, pois o anime não chega a dar respostas claras. O que consegui entender é que essas doze pessoas teriam uma segunda forma, uma segunda transformação em uma criatura feia e horrenda.

No final da primeira temporada, podemos ter uma noção de que tipo de criatura seria.

Além disso, a vida dessas doze pessoas é muito complicada. A maioria deles tem problemas infantis com seus pais, do tipo mãe se suicidando por não dar conta de cuidar.

A maioria dos pais ficaram tão pressionados que tiraram suas vidas ou tiveram suas memórias apagadas. Sendo que os filhos amaldiçoados tiveram de se virar para viver. Porém, há a ressalvas dos pais que até lidam bem, porém as crianças ainda assim sofreram algum tipo de trauma.

Não há um deles que não tenha algo que os assustam. Pois além desse problema com a própria família, eles tiveram de aguentar o patriarca da família Souma.

Akito.

O Deus do zodíaco

Não sei direito como me referir à Akito, pois durante todo o anime temos a impressão que é um rapaz. Até mesmo é dito que seria o patriarca da família. Porém, no final da segunda temporada temos a revelação de que é uma mulher.

Então irei me referir como mulher, por isso não estranhem.

Akito seria o Deus do zodíaco, aquele que convidou os animais para o banquete e deseja ter laços eternos com eles. Podemos dizer que a maldição é passada de geração em geração justamente por haver esse desejo se “sempre unidos”.

A ligação que ela tem como cada um dos doze é algo que jamais podemos compreender. Eles são presos á ela, não conseguem desobedecer suas ordens, não conseguem se libertar. Isso se dá por conta do vínculo com o espírito dos animais, e não eles em pessoa.

No entanto, isso não significa que os doze são pessoas que são cegos de amores por Akito. Muito bem pelo contrário, se pudessem eles se afastariam. Akito é uma pessoa que machuca eles, tanto fisicamente quanto psicologicamente.

Rin, uma adolescente que tem o espírito do cavalo, foi jogada da janela por Akito e quase morrera, tudo porque ela havia se apaixonado por Haru, um rapaz que tem o espírito do boi.

Hatori, espírito do cavalo-marinho (representando o dragão), ficou quase cedo de seu olho quando AKito teve um acesso de raiva ao descobrir que ele estava noivo de uma mulher “normal’.

O próprio Yuki sofreu nas mãos de Akito, estando sempre ao seu lado por conta do rato ter sido o primeiro a chegar no banquete, logo ficando mais próximo de Deus.

O papel de Thoru dentro da história

Você pode imaginar o quanto esse pessoal sofreu nas mãos de Akito, não? Apesar de alguns deles poderem viver fora dos muros dos Souma, eles não conseguem se desprender de Akito.

Todos eles carregam suas dores e falta de esperança para viver.

Tudo passa quando conhecem Thoru.

A protagonista tem uma personalidade pura e inocente, mas principalmente maternal. Em várias cenas vemos esse lado dela agindo com os doze, e eles correm para ela.

Um personagem que podemos ver com muita nitidez, é o espírito do tigre. Uma garotinha com seus 12 anos de idade,que ao sofrer bullying parou de falar e fugiu de casa. Ela acabou ficando na Shigure, pois Thoru havia confortado-a e a pequena queria ficar no pé da protagonista.

É uma clara relação de mãe-filha, pois Thoru abraça ela, diz que a ama que ela é fofa, e a garota sente-se confortável e amada por isso. Algo que normalmente, a maioria deles não recebe.

Até mesmo os mais velhos como Shigure e Hatori se deixam ser confortados por essa maternidade, que ouve seus lamentos com empatia.

Uma frase dita por Akito representa bem essa função de Thoru: Akito tira e Thoru devolve. Akito pede a Lua, Thoru não, é humilde.

Por isso pode imaginar que Akito não gosta, nem um pouco, de Thoru. E os demais membros do zodíaco tem receio de que ambas se encontrem.

O confronto de Akito e Thoru

Akito deseja o poder da família, e ela o tem de fato. Porém ela gosta de saber que os doze estarão ao seu lado em um estalar de dedos.

No entanto seu império passa a ruir quando percebe que os doze estão tendo suas feridas saradas por uma garota simples. Os doze desejam passar mais tempo com Thoru, do que consigo mesma.

Isso fica nítido, pois a casa de Shigure é cheia de entra e sai de personagens que vão visitá-los. A maioria vão lá para ver Thoru, e conhecer ela pois ouvem falar de sua pessoa.

Na segunda temporada, Akito descobre que uma boa parte dos doze estão indo para um casa na praia junto com Thoru. Ela fica irritada, pois sente que está sozinha, por isso parte para o litoral onde todos os dias manda todos eles passarem o dia com ela.

Assim, eles deixariam Thoru sozinha.

No entanto, havia Kyo. Por ele ter o espírito do gato, aquele que não participou do banquete, dificilmente é convidado para alguma interação entre os doze. Ou seja, sempre é deixado de fora. Logo, Kyo fica sozinho com Thoru.

Akito deseja tanto acabar com a protagonista, que há uma dia que convida Kyo para ir até si. No entanto, por mais que eles passem o dia na casa de Akito, eles sempre voltam para Thoru, e eles aguardam ansiosos por esse retorno.

E sim, infelizmente há cenas em que Thoru conversa com Akito, e que esta última acaba machucando fisicamente a protagonista. Ninguém pode fazer nada, ninguém pode salvar a protagonista.

A decisão da mãe

Thoru acaba desejando acabar com a maldição.

Mas não é por motivos tão nobres quanto pensamos. Ela se dá bem com todos, os ama de verdade, porém o motivo principal de ela desejar quebrar a maldição se dá por um fator: Thoru se apaixona.

Thoru sempre foi ligada ao gato, desde que ouviu o conto do banquete e sentiu pena pelo gato ter sido enganado. Até disse para sua mãe fingir que ela não tinha nascido no ano do cão, mas sim do gato.

Quando ela conhece Kyo e descobre que ele tem esse espírito, Thoru faz questão de que o rapaz se sinta bem recebido e parte de algo. Lentamente os dois vão construindo uma amizade, e ambos se apaixonam.

Mas no anime nenhum deles admite os sentimentos, pois isso implica a renúncia de algo.

No caso de Kyo, sua própria maldição. Seus antecessores sempre foram aprisionados pela vida toda, impedindo que tivessem relações por conta de sua verdadeira forma. Logo chega a vez de Kyo, que não quer ver sua amada sendo punida e ficando triste por sua causa.

Já Thoru é para manter a memória de sua mãe viva. Durante todo o anime vemos referências de sua mãe, com seus ensinamentos de amor e carinho. Isso mostra que Thoru tem grande estima por sua mãe. Só que na medida em que ela se apaixona por Kyo, ele também se torna alguém estimável.

A garota teme que se apaixonando pelo rapaz, ela iria se esquecer de sua mãe.

A mais humilde também pode ser egoísta

Podemos imaginar isso como uma pirâmide de relacionamentos, onde no topo se encontra a mãe. Em segundo plano as amigas, e em terceiro o pessoal da afamilia Souma. Na medida em que Thoru conhece, convive, interage com Kyo, mais ele vai subindo para o topo da pirâmide.

Thoru sempre manteve as memórias de sua mãe vivas. Inclusive, quando seu pai falecera, ela passou a imitar o jeito do pai de falar só para que sua mãe não a abandonasse. Pelo que entendi, Thoru chegou a tornar seu pai um vilão, aquele que queria levar a mãe embora.

Agora que a mãe também se foi, a garota teme por ficar sozinha e não conseguir se levantar. Dificilmente vemos Thoru ficar triste, ela sempre cuida dos outros, sorri, conforta. No entanto, tudo isso é para ela não pensar no quão sozinha se sente.

Manter as memórias de sua viva também faz parte desse processo.

No entanto, ela não tem controle do seu apaixonamento. Por isso Thoru finge não estar apaixonada. Só que há atos falhos, e chega um momento que todos percebem que Thoru e Kyo estão apaixonados um pelo outro.

E dificilmente vemos alguém dos doze animais incentivar eles á ficarem juntos. No máximo que encontramos é pela admissão dos sentimentos. Isso porque todos eles sabem que as chances de eles serem felizes são bem baixas.

Até mesmo Thoru sabe disso, já que ela conhece a história dos casais entre os doze. Então por esse motivo que ela toma a decisão de quebrar a maldição.

A última informação da maldição

Repito uma vez mais, se você não gosta de spoilers então não leia. Esse tópico inteiro é repleto de informações sobre o final da segunda temporada.

A maioria dos doze tem suas vidas, sendo que alguns moram fora dos muros e estudam em escola mista. Porém, há um membro que sempre foi mantido escondido dos demais: o galo.

Esse personagem é apresentado na segunda temporada, e é um verdadeiro mistério o motivo de ele viver grudado em Akito. Dificilmente ele tem permissão de sair, nem de interagir com os demais membro do zodíaco.

Ou seja, ele é recluso em dobro, praticamente.

Porém, quando ele recebe um DVD com a apresentação escolar de Thoru, onde ele vê a Uo (que seria melhor amiga de Thoru, e a pessoa pelo qual o galo se apaixonou) ele sente necessidade de conversar com Thoru.

O galo liga para a casa de Shigure e o próprio atende. O galo acaba contando uma informação e logo desliga o telefone para ir se encontrar com Thoru.

Nesse encontro entre ambos, ele afirma que quando adolescente, sem qualquer sinal, quando menos esperava, sua maldição foi quebrada.

Quando Akito percebeu começou a gritar e se desesperar, e o galo sentiu tanta pena (pois nessa época, Akito era criança), prometeu que ficaria ao seu lado para sempre.

Então torna-se compreensível que o galo é mantido escondido para que ninguém mais saiba que é possível de quebrar a maldição.

A teoria de Shigure sobre a maldição

Essa informação eu tirei de um resumo do mangá que deixarei linkado ao final do post.

Shigure é uma pessoa misteriosa, desde o início do anime ele se mostra interessado em usar Thoru contra Akito para algum fim. Mas não sabemos dizer se isso é bom ou ruim, já que sua personalidade confunde demais.

Com ele sabendo que o galo não é mais amaldiçoado, fico á me perguntar o que acontecerá.

No resumo que li, basicamente ele acredita que á cada geração que passa, mais fraca a maldição fica. Sendo assim, em algum momento ela se rompe naturalmente, assim como ocorreu com o galo.

Ainda assim, chega um momento que ele irá dizer à Thoru que para quebrar a maldição seria ideal que todos fossem à um banquete. Normalmente, quando eles se reúnem, sempre falta um: o gato. Isso explicaria um motivo para o gato sempre ser aprisionado pro resto da vida, para que nunca comparecesse no banquete.

A única coisa que eu não sei dizer é como isso será feito. Seria necessário a presença de Akito? Se não, como irão reunir todos os doze sem que Akito saiba?

Parece uma tarefa bem difícil.

Minha percepção sobre Fruits Basket

A minha principal preocupação sobre o anime é de que essa maldição seja leviana demais para tamanho sofrimento por parte dos personagens. Todos eles carregam dores, traumas, abusos psicológicos e físicos. Tudo por causa do fardo que essa maldição acarreta neles.

Mas o fato de se transformarem quando abraçados pelo sexo oposto, mesmo que na forma mais feia, não me parece o suficiente. Pois eles são conscientes quando transformados, eles se comunicam e depois voltam á forma humana.

À menos que tudo isso seja por conta de Akito, aí faria sentido. Como se a maldição torna-se um fardo por conta do Deus dos animais.

Entretanto, vem aí minha segunda preocupação: quem seria o antecessor de Akito? A pessoa que cumpria esse papel de divindade dos animais, também era abusiva desse jeito? Pois os quatro membros dos doze não me parecem ter tantos traumas infantis, mas sim já adultos quando Akito é presente.

O personagem Akito também me causa reflexões, pois tive uma leve impressão que ela também sofre com o espirito do Deus. Como se aquele espírito fosse carregado de energia negativa que a torna explosiva e destrutiva.

Posso dizer que estou curiosa sobre a origem de Akito.


Leia também: Fukigen na Mononokean Tsuzuki | Maji-kyun renaissance


Ressalvas sobre o anime

Falando no todo, o anime tem muitas cenas de comédia, temos romance com cenas fofas. Porém, quando fala da maldição temos algo muito pesado.

A própria Akito é um personagem que nos deixa nervosos, pois a forma como ela trata todos e ninguém conseguir se posicionar contra nos deixam angustiados. Cheguei a ficar no celular quando Akito aparecia na tela, pois tinha uma raiva enorme de sua forma de agir.

Então apesar de todos os lados bons e fofos do anime, seu enredo é muito denso e misterioso. Demora para gente descobrir as coisas, para vir as informações.

Quando conhecemos a história de cada personagem, vemos que eles tem sentimentos para lidar. Não digo que Thoru vem para cumprir o papel de heroína e tirar um por um da tristeza. Ela vem com o papel de mãe, de dar conforto e fazê-los se sentirem capazes de caminhar com as próprias pernas.

O próprio Yuki é um personagem que podemos ver isso com clareza. Pois ele é confortado pela Thoru, ele entende suas palavras, e toma a decisão de mudar. Ele muda, ele toma decisão no que deseja arriscar.

Cada personagem fará seus avanços por conta, por estarem sendo encorajados pela figura materna.

Conclusão

O anime é muito legal de assistir, o enredo é muito interessante e tem amarrado algumas pontas soltas. Tudo o que precisamos fazer por ora, é esperar a última temporada que irá lançar ano que vem.

No mais, aguardamos com ansiedade o desfecho e aceito spoilers!

Se quiser saber mais detalhes do mangá, e receber spoilers, clique aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Recomendados