Isekai da aranha – So I’m a spider, so what? Análise

Isekai da aranha

Um dos isekais mais bem avaliados desse ano merece um espaço nesse blog. Porém, ele realmente é bom? Nesse post iremos analisar o enredo de uma história cuja protagonista reencarna em uma aranha!

Ultimamente os animes do gênero isekai tem aumentado bastante, o que pede por histórias originais diferenciadas uma das outras. Afinal, ficar vendo vários animes seguindo o mesmo padrão é enjoativo.

Por isso me interessei por esse anime. Uma história onde a protagonista que vive no Japão moderno morre e reencarna em um outro mundo, onde a fantasia e magia são presentes. Contudo, ela não reencarna como humana, e sim como uma aranha.

Para aqueles que tem aracnofobia (assim como eu) faça uma oração antes de ver esse anime.

É claro que busquei pela avaliação do anime no site do My Anime List, e fiquei surpresa de ver uma boa nota. Além disso, os comentários nos episódios na Crunchyroll também eram bastante positivos. Ou seja, sinais de que o anime é bom.

Agora que terminei de assistir os 24 episódios, gostaria de dizer… faço parte da minoria.

Se você não viu o anime, mangá ou light novel sobre essa história, saiba que esse post estará repleto de spoilers. Caso não queira saber, não leia. Avisado você foi!

Além disso gostaria de dar a ressalva de que eu não li o mangá e nem a light novel. Sendo assim conheci a história completamente a partir do anime.

Sinopse

A história é focada em uma colegial que vivia sua vida normal como uma estudante do ensino médio, até que, em minutos e sem perceber, ela surge como pequena aranha que precisa sobreviver no que seria a pior dungeon de todas e em um mundo completamente diferente do que ela conhece, precisando evoluir suas habilidades (como em um jogo), se alimentar e tentar escapar de tudo aquilo. Mas as perguntas principais são: Como ela foi parar ali? Porque como uma aranha? E quem é o responsável por tudo isso? (Anime United)

Analisando a protagonista enquanto aranha

Muito bem, começarei falando da protagonista. Há uma coisa que me incomodou demais nesse anime que foi a súbita mudança nos traços de personalidade dela.

Enquanto humana Kumoko pareceu ser bastante introvertida. Nas cenas de flashback enquanto humana, a impressão que tive dela foi de ser uma jovem adolescente sem o prazer de viver a vida. Olhos opacos, cabelos cobrindo o rosto, ombros curvados, e sempre se escondendo atrás de alguma coisa que a fizesse fugir da realidade dela. Sejam livros, mangás ou video games.

Alguém com um traço de personalidade introvertido não gosta de sair de casa, prefere ficar sozinho e rodeado de poucas pessoas. Não é alguém que conversa, porém são bastante observadores.

Essa mesma pessoa morre subitamente e reencarna em uma dungeon como uma aranha.

Uma aranha tagarela. A mudança de personalidade dela foi chocante, pois Kumoko conversa consigo mesma o tempo inteiro, grita, faz pose, ri. São comportamentos completamente diferentes dos que ela tinha enquanto humana.

Essa mudança é muito radical. Tudo bem se compreendermos a possibilidade de um arrependimento, de que ela gostaria de viver essa nova vida de um jeito diferente e tudo mais. Contudo, a mudança é muito brusca, de uma hora para outra.

Acredito que seria interessante se fosse gradativo. Apesar que toda essa personalidade eufórica só é notada por ela. Ou seja, a interação com outras pessoas é quase inexistente.

Habilidades e desenvolvimento da personagem

Desculpe aos fãs dessa obra, mas para mim toda a parte inicial onde Kumoko estava na dangeon foi completamente chata. Além da interação dela com os próprios divertidamente ser cansativo, pois não fica quieta um segundo, a enxurrada de informações tornaram os episódios cansativos.

Tudo nesse anime gira em torno de ganhar habilidades e subir de nível, como se estivessem dentro de um jogo. É interessante isso pois ajuda-nos a contabilizar a força de um personagem, não sendo algo meramente mágico.

Mas nesse anime eles simplesmente poluíram a tela com várias linhas falando de todas as técnicas que Kumoko conseguia e seus respectivos níveis. E ouso dizer que algumas delas a protagonista nem deve ter usado nesses vinte e quatro episódios.

Não sabia se eu lia a legenda que traduzia o que a narradora dizia ou se lia a tradução dessas linhas de habilidades. Foi uma chuva de informações completamente desnecessária. Prefiro que as habilidades sejam mostradas nas cenas de luta, pois conseguimos entender como ela funciona.

Porém, eu já estava tão cansada dessas habilidades que até as cenas de luta da protagonista dentro da dangeon ficaram chatas para mim. Sem falar que nenhuma pista sobre o enredo foi dado nos primeiros episódios. Era como estar acompanhando uma história sem um objetivo, e isso é desestimulante demais para mim.

Gosto de acompanhar histórias que tenham objetivos claros e bem definidos. Afinal irei acompanhar o protagonista em sua jornada, então preciso saber para onde estamos indo dentro da história.

Linha do tempo é uma bagunça!

Enquanto assistia os episódios, eu aproveitava para dar uma espiada nos comentários e saber qual a opinião de outras pessoas sobre o anime. Então eu li vários spoilers, e agradeço muito por isso se não eu ficaria perdida como grande parte do pessoal que não acompanhou a história no mangá.

No mangá, pelo o que entendi, é trabalhado primeiro a Kumoko dentro da dangeon derrotando outras criaturas e subindo de nível. Somente depois é mostrado os humanos e demais reencarnados. Ou seja uma linha do tempo bem linear e cronológica.

Contudo no anime não temos isso.

Temos futuro e passado sendo trabalhado ao mesmo tempo, e ficamos boa parte do anime acreditando que tudo está acontecendo paralelamente. A partir de uma certa parte do anime são dado indícios de que os humanos e a nossa protagonista não estão no mesmo espaço-tempo.

Sendo assim, muita gente ficou perdida sem saber o que estava acontecendo. Caso esteja lendo esse post sem ter visto o anime, já fique sabendo que os humanos reencarnados estão quinze anos a frente dos eventos da dangeon com a protagonista. Ela nasceu e se desenvolveu bem antes que qualquer um deles.

Além disso, a forma como os humanos enxergam a Kumoko é bem diferente da versão fofinha que ela enxerga de si mesma. É retratada como um verdadeiro monstro, que não consegue se comunicar direito. Viu algo de aranha branca? Pode saber que é ela.

Acompanhando os reencarnados

Muitos usuários falaram que pularam a parte dos humanos, pois queriam saber apenas da protagonista. Eu já era do time contrário, pois não aguentava mais ver Kumoko lutando e falando de habilidades.

O enredo demora muito para ser desenvolvido, basicamente comecei a compreender o objetivo da história na reta final do anime. Foram mais de treze episódios servindo de prólogo, e quase dropei esse anime de tão cansativo que foi.

A história dos humanos não deve ser pulada, pois ela é a única coisa que revela informações acerca do enredo. Compreendemos melhor que tipo de mundo é aquele, qual a cultura, como funciona a magia e habilidades, além de entender o que aconteceu com os demais alunos da sala que foram mortos junto com Kumoko.

Apesar dos personagens serem bem chatinhos e pouco desenvolvidos, bem pouco, para mim foi mais interessante acompanhá-los. Principalmente por ser a história que se passa no futuro. Eu queria saber onde estava a protagonista no futuro.

Mas, assim como eu disse antes, os personagens secundários não foram bem desenvolvidos. Por mais que dessem certas informações sobre o enredo, ainda faltou muita coisa pra fazer sentido. O garoto Shun principalmente, pois ele é colocado em um papel de herói e nem é treinado para ser um.

Compreendendo o enredo do anime

A proposta do anime é interessante, pois ele nos mantém “no escuro” por um bom tempo. Não sabemos quem são os inimigos e nem quem são os aliados, muito menos quais suas respectivas intenções. Só que por algum motivo senti que nesse anime, nesse arranjo temporal, essa técnica tenha ficado bem estranha.

Eram poucos os diálogos em que consegui captar alguma informação acerca do enredo. Basicamente tive de olhar para todos com suspeita. Sem falar que não entendi direito como que o mundo daquela fantasia funcionava. Quem é o lorde demônio? Por que querem guerra? Quais os tipos de criaturas que há nessa realidade? Para quê serve o herói?

Muitas dessas informações não ficaram claras para mim.

Quando essas infos são escondidas, tendemos a ficar mais atentos ao anime para nos situar do que está acontecendo. No caso desse anime eles esconderam por grande parte dos episódios, só liberando da metade em diante. Pois aí que começa o “perigo” da história.

Por conta disso devo dizer que a partir da metade dos episódios é que a história começou a andar. Uma história começou a ser contada, digamos assim. Antes disso… bem não sei como chamar aqueles episódios.

Quando estava no segundo episódio, resolvi ler os títulos dos episódios seguintes. Fiquei muito surpresa em saber que Kumoko sairia da dangeon somente no episódio treze. Depois que ela sai, bem a história começa e as informações se tornam mais claras.

Pontos negativos do anime da aranha

Primeiro ponto negativo é a própria animação. Não sei o que houve, mas em alguns episódios a equipe de produção simplesmente resolveu usar 3D ou CGI. A lorde dos demônios, Shun e Sophia foram alguns personagens que em um determinado episódios apareciam em 2D e em outros em 3D. Uma coisa horrorosa.

Algumas cenas de luta também foram ruins por conta dos efeitos. Digamos que a qualidade do anime foi bem ruim. Estranhei demais.

O segundo ponto negativo foi justamente essa bagunça na linha temporal. Compreendo que se fizessem como no mangá, provavelmente passaríamos os 24 episódios vendo Kumoko na dangeon, então o melhor é unir as duas linhas do tempo em paralelo.

Terceiro ponto é a falta de contextualização do enredo. Somente no último episódio ficou claro para mim qual era o objetivo da protagonista, dos elfos, dos demônios e afins. A reta final do anime ficou mais interessante do que os episódios anteriores. Gostaria que algumas informações tivessem sido passadas desde o principio.


Leia também


Pontos positivos do anime da aranha

É um anime com uma proposta bem interessante, tem bastante comédia por parte da protagonista. Apesar de que eu a achei bastante irritante em determinados momentos.

Fiquei interessada no universo criado para esse isekai, e quero saber o desfecho da história. Afinal quem são os administradores, quais eram suas intenções, o que é esse fim de mundo que a protagonista deseja evitar? Essas pontas soltas é o que me mantém na esperança de uma próxima temporada.

O desenvolvimento da protagonista também é bem interessante de se acompanhar. Na medida em que ela vai evoluindo, Kumoko se torna bem forte como criatura. Quando ela sai da dungeon fiquei me perguntando o que ela faria, e então veio a questão dela ser adorada como uma criatura mística e milagrosa.

Essa parte da história foi bem interessante, pois é o momento que comecei a perceber o caminho que a história estava tomando. Além de ter sido o melhor momento de enxergar praticamente todos os personagens como inimigos. De certa forma, ser mantida no escuro é interessante mesmo nessa bagunça.

Conclusão

No My Anime List dei uma nota cinco para esse anime, já que a parte inicial dele foi bem cansativa e nada charmosa para mim. Diferente dos demais fãs da obra, não considerei a protagonista carismática, somente tagarela e estranha pela mudança de personalidade.

Contudo, tenho grandes expectativas sobre o futuro dessa personagem. Quero saber como ela se posiciona diante dos reencarnados, como irá lidar com a destruição do mundo e afins. Se ela passou por poucas e boas para ficar forte, quero que mostre toda sua força então.

Além disso, se o anime tivesse focado só nela sem comentar dos reencarnados, pelos céus eu teria dropado. É muito chato acompanhar uma coisa só o tempo todo.

Se você deseja ver o anime, é legal, não quero te desestimular. Apenas esteja atento para captar as informações omitidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sobre a autora

Alis Green

Uma bruxa escritora que é viciada em animes. Adora estudar sobre mitologias e história, como também gosta de ler romances regenciais. Quando aprende alguma coisa nova, sempre passa à frente em seus posts.

Leia sobre esses artigos