Esbat na Roda do Ano

Ebats na roda do ano

O esbat vem como uma celebração nas noites de Lua Cheia, que simboliza a face Mãe da Deusa e o período sazional em que vivemos.

O que é um esbat

Além dos sabbats que representa os feriados sazonais das quais os bruxos comemoram, há ainda os esbats. Trata-se de reverenciar a Deusa, e o Deus se quiser, em noites de lua cheia.

Os bruxos não cultuam a Lua em nome da Deusa, isso é importante de ser frisado. A lua se torna apenas um símbolo da Deusa, por conta das fases que representam as três faces Dela: Crescente para a Donzela, Cheia para a Mãe e Minguante para a Anciã.

O que posso adiantar á vocês sobre o assunto, é o fator histórico do homem achar a Lua misteriosa, e com o avanço tecnológico descobrimos que ela influencia a vida aqui na Terra, seja através dos ciclos menstruais das mulheres, comportamentos do animais ou das marés.

Além disso, existe um calendário lunar celta onde existem 13 meses, todos com 28 dias. Á cada 28 dias, vem a Lua Cheia que está no seu ponto alto, refletindo a luz do sol e influenciando a nossa vida. A Deusa se encontra na sua face Mãe, que também representa o ponto alto da vida, ficando entre a Donzela inocente e a Anciã sábia.

Com isso podemos dizer que a Lua Cheia se torna um dia de poder, onde os bruxos fazem suas homenagens á deuses e deusas.

Como se comemora um Esbat

Se você faz parte de um coven, então provavelmente se unirá á seus colegas para a realização de um ritual mágico em grupo. Agora, se for um praticante solitário, poderá fazer rituais e danças em homenagens á Deusa.

Alguns podem usar o esbat para confeccionarem talismãs, consagrarem objetos e utensílios, ou apenas cultuarem antigos deuses.

Se bem que podem ser feitos danças e cânticos, agradecimentos pelas bençãos e a presença Deles em nossas vidas. Em um aspecto geral, é o dia que as pessoas realizam seus rituais mesmo, em específico o ato de Puxar a Lua para baixo.

Esse nome se torna comum nos livros de bruxaria, pois trata-se de um ritual exclusivo dos esbats. Ele consiste em atrair o poder da lua e da Deusa para si próprio, pedindo que tais poderes entrem em nós e iluminem a alma. Tal poder pode ser usado para algum ritual posterior.


Leia também: Quais os significados das fases da Lua | Conhecendo a Roda do Ano


Os Esbats na Roda do Ano

Como a celebração da Lua é feita uma vez ao mês, podemos dizer que ela também pode ser encaixada na Roda do Ano e seus significados. A que será mostrada á seguir, trata-se da roda do Hemisfério Sul.

Janeiro – Lua das Bençãos:

Erva: madressilva e cor amarela. É a última Lua antes da primeira colheita, onde é celebrada com danças e músicas. É considerada a Lua dos sonhos, por conta dessa atmosfera da colheita que se aproxima, é momento de se preparar para os frutos de nossas ações.

Fevereiro – Lua da Colheita:

Erva: louro e mirra, cor verde escura. É chegada a primeira colheita, independente de quais sejam os frutos que deram, agradecemos e continuamos a persistir em nossos sonhos. Também é ideal para o fortalecimento de laços.

Março – Lua da Cevada/Milho:

Ervas: avelã, alecrim e louro, cor marrom. A segunda colheita chegou, momento de de agradecimento pelo que obtivemos e organizamos nossas vidas tanto internamente quanto externamente.

Abril – Lua de Sangue:

Erva: cipreste e cor vermelha. O inverno se aproxima, e antigamente era a época de se caçar para estocar suprimentos para toda a estação fria. Também é válido refletir sobre o ciclo da vida por conta do sabbat que se aproxima, assim como se desfazer daquilo que não precisa mais, seja metaforicamente falando ou não.

Maio – Lua Escura:

Erva: cedro e cor cinza. A Lua escura vem junto do inverno para refletirmos sobre o perdão a si mesmo e ás pessoas que estão em nossa volta. Então se for preciso se comunicar, entender situações e nos fortalecer, o faça. Encare os medos e concerte seus erros.

Junho – Lua do Carvalho:

Ervas: carvalho, patchouli, mirra e gengibre. Cor, violeta. Passamos pelo solstício de inverno, e os dias se tornam maiores do que as noites. Esse é o momento do renascimento, onde a luz ilumina a nossa alma para orientar-nos em nossos caminhos.

Julho – Lua do Lobo:

Ervas: bétula e rosa branca, cor roxa. Estamos no ápice do inverno, então use-o para trabalhar o seu interior. Em breve estaremos passando pela primavera, onde sairemos da reclusão. Sendo assim, se prepare para dar início aos projetos que quer realizar.

Agosto – Lua da Tempestade:

Erva lavanda e cor azul. Por analogia a época das chuvas que fertilizam as terras, podemos fazer a analogia de uma limpeza espiritual e purificação da alma. Novamente iremos refletir sobre o que não é mais necessário em nossas vidas, passando por uma modificação afim de realizarmos nossos desejos.

Setembro – Lua dos Ventos:

Erva amieiro e cor branca. Mês em que temos o equinócio da primavera, finalmente despertamos para semear de nossos desejos, deixando que o vento carregue boas energias para as transformações esperadas. Bem como, podemos desejar que o vento leve consigo aquilo que não nos pertence mais.

Outubro – Lua das Sementes:

Erva manjericão e cor verde claro. Em plena germinação das sementes, é o mês ideal para focarmos no desenvolvimento de algum projeto. Com a união dos deuses, temos energia necessária para que a vossa fertilidade nos renda uma boa colheita.

Novembro – Lua da Lebre:

Ervas rosas e sândalo, e cor rosa. Certamente, a lebre é a principal simbologia da fertilidade, principalmente no sabbat de ostara. Celebrar a própria vida e a união pode ser uma boa pedida, assim como reconhecer nossas sombras trazendo equilíbrio para si próprio. Fazendo isso, é uma forma de demonstrar amor á sua vida.

Dezembro – Lua Brilhante:

Erva flor do campo e cor laranja. Entramos no verão e o ano se finda por aqui. Agradeça pelos aprendizados que teve ao longo dos meses, assim como as conquistas que obtivera. Prepare-se para o início do ciclo, tomando decisões para o ano seguinte.

13ª Lua – Lua do Vinho:

Durante o ano solar pode haver doze luas cheias, enquanto outros anos podem haver treze. A cor dessa lua é vermelho púrpura o que lembra o tom do vinho e da vida (sangue). Dentre as lunações especiais (da qual farei um post falando delas), a segunda Lua Cheia do mês também é conhecida como a Lua Azul. Dizem que a segunda lunação é mais poderosa do que a primeira.

Conclusão

Podemos concluir com esse post que assim como os sabbats, o esbat se torna um momento de reflexão seguindo o ciclo da vida. Ora temos de nos reorganizar internamente, ora temos de enfrentar nossos medos.

De qualquer forma, essas lunações nos permitem conectar á natureza e ao seu ciclo.

Aliás, em 2020 teremos ao todo 13 luas cheias. O mês de outubro teremos duas lunações, sendo a primeira em 01/10 e a segunda no dia 31/10. Preparem-se para vivenciar esse momento mágico e fazer o ritual necessário. Se preferir, poderá comemorar o esbat com uma meditação em frente á janela.

Fonte

Relação dos Esbats no Hemisfério Sul – Marco Aurélio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia sobre esses artigos