As casas astrológicas do seu mapa astral
Astrologia Caminho da Lua

As casas astrológicas do seu mapa astral

Nesse final de mês encerramos os signos, porém é chegada a hora de darmos o passo seguinte e estudar as casas astrológicas.

Para o post não ficar grande e cansativo, o dividi em duas partes! A primeira é uma introdução ao tema, onde já podemos encontrar algumas definições das casas. Porém, somente no próximo post é que iremos estudar as casas propriamente.

Sendo assim, é importante que você tenha anotado suas casas ou mapa astral. Caso não tenha, o aplicativo horos é recomendado!

Além disso, espero que tenha lido e aprendido sobre os signos. Caso tenha interesse de apenas saber sobre o seu mapa astral, então leia o post sobre seu signo sol.


Leia também: Lista de postagens dos signos


Introdução ás casas astrológicas

É bem provável que você já tenha se deparado com a ilustração de um círculo dividido em doze partes, sendo que dessas divisões aparecem os doze signos do zodíaco.

Podemos entender que as casas astrológicas são as separações do campo celeste, que se dividem em doze parte iguais, mais precisamente todas em ângulos de 30º. É o desenho comum quando falamos sobre os signos do zodíaco, aquele círculo cujos signos aparecem sempre na mesma ordem.

Cada casa possuí um determinado significado ligado á atividades e experiências humanas e seus comportamentos.

Porém, é válido dizer que esses significados são adaptados de acordo com a data e o horário de nascimento do sujeito. Ou seja, na medida em que o nosso planeta está rotacionando, faz com que os signos “girem” trocando de casas, e assim ocorrem com os planetas.

Vamos ilustrar melhor nesse caso.

Entenda que sempre há uma ordem representada nas ilustrações das casas. Da primeira casa até a décima segunda temos os respectivos signos: Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes.

Vamos ilustrar com dois círculos, um maior onde tem as casas numeradas de 1 á 12, e uma menor que estão desenhadas os símbolos dos signos. Á cada dia, o círculo dos signos gira preenchendo casas diferentes, sem nenhuma delas ficar vazia.

Elas são numeradas em sentido anti horário, e o signo que ocupa a primeira cúspide, a primeira linha, é chamado de ascendente. Sabe a casa onde Áries costuma ficar? Pois é, o signo que preencher tal casa no dia e horário de seu nascimento, é o seu signo ascendente.

https://s3-us-west-2.amazonaws.com/secure.notion-static.com/6e8c87c5-c135-4761-90f3-0f9054e38c49/Untitled.png

Para quê servem as casas

Assim como dito anteriormente, cada casa representa uma área de nossas vidas, um comportamento nosso. Quando estudamos os signos percebemos nossas personalidade, e futuramente iremos estudar os planetas que também revelam uma influência dependendo de qual casa eles se encontram.

Então, quando estudamos as casas devemos nos atentar também ao signo e o planeta. É bastante comum que uma casa fique sem nenhum planeta, porém isso não significa que é vazia. Basta se lembrar que ao todo, temos 10 planetas na astrologia enquanto que temos 12 signos e casas, então é esperado que algumas delas fiquem vazias.

De qualquer forma, entenda que: os planetas irão nos revelar o tipo de energia, os signos a forma que tais energias serão expressas, e as casas a área de vida em que elas serão mostradas. Mais precisamente, planetas o quê/qual, os signos como e as casas onde.

“Se fôssemos comparar a astrologia com o teatro, diríamos: os planetas são os atores, os signos são os papéis que eles desempenham e as Casas são os cenários ou situações onde o elenco representa”.

Ah, e caso você se sinta perdido em meio aos estudos vou tentar explicar de um jeito fácil. Ao se deparar com a palavra cúspide, os autores estarão falando das linhas e não dos espaços em si. As vezes pensamos que as cúspides seriam aquele espaço de 30º, porém eles estão falando da linha mesmo, a que divide esses espaços.

Classificando as casas

Quando estudamos os signos, nos deparamos com classificações denominadas de modalidades: fixo, cardinal e mutável. Nas casas teremos algo muito similar.

São três grupos em que quatro casas irão pertencer. São elas:

Casas angulares: 1, 4, 7 e 10. Aqui, a primeira casa é o ascendente ou nascer do sol, a quarta a meia noite, a sétima é o pôr do sol e a décima é o meio dia. Todas elas arrumadas em seus respectivos opostos. Horizontalmente temos a casa 1 e 7 (amanhecer e o pôr do sol), e verticalmente temos a casa 4 e 10 (meia noite e meio dia).

Essas são regidas pelos signos cardeais (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio). Os planetas que estiverem em casas angulares podem demonstrar um grande potencial tendo sua influência intensificada.

Podemos entender que as casas angulares irão falar sobre o “eu” ou o “ego“, é a forma como lidamos com a realidade e como damos inícios ás coisas.

Casas sucedentes: 2, 5, 8 e 11. São chamadas assim por virem em seguida das casas angulares.

Essas são regidas pelos signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário). Não chegam á exercer toda a potencialidade dos planetas, porém elas retratam bem a estabilidade e propósitos de vida.

Podemos fazer a analogia de um ciclo em que iremos reunir, colecionar algo, organizá-las e então direcioná-las á algo, gerando um prazer.

Casas cadentes: 3, 6, 9 e 12. Podem ser consideradas fracas, digamos assim.

Essas são regidas pelos signos mutáveis ( Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes). Assim como significado da palavra, há uma queda de potencial aqui, algo similar á dispersão e dar.

No entanto, aqui é trabalhado o pensamento, a coisa mental. É aquele momento de refletir sobre o passo que demos até então e qual iremos dar em seguida.

Os meridianos das casas

Lembram que mais cedo falamos sobre a divisão horizontal e vertical? Pois bem, iremos retomar agora.

Quando dividimos toda a eclipse em direita e esquerda, a linha divisória se chamada meridiano, enquanto que dividindo a eclipse em cima e baixo, a linha divisória se chamará equador.

Linha do equador

Essa linha horizontal irá dividir o mapa astral em dia e noite, ou sul e norte respectivamente. Lembre sempre que dependendo de onde estiver estudando poderá ficar confuso

Vimos então que temos os opostos nascer do sol e o pôr do sol, a linha que liga a casa 1 á casa 7 respectivamente. Essa linha irá dividir o mapa astral em dia e noite, cima e baixo, sul e norte respectivamente. Basta lembrar-se que o meio da parte de cima do mapa astral é a casa 10, logo o meio dia, e o meio da parte de baixo é a casa 4, logo a meia noite. Ou seja, em cima fica o dia e a parte de baixo a noite.

Porém, dependendo de onde estiver estudando, irá se deparar com norte e sul, e isso não significa que a parte de cima é o norte. Na astrologia é o contrário! Sim, os pontos cardeais são opostos aqui, então o sul ficará com o dia e a parte de cima, enquanto que o norte a noite e a parte de baixo.

Vamos recapitular?

Das casas 1 ao 6, abaixo do equador, é noite, norte. Já as casas de 7 ao 12 ficam acima do equador, é o dia e o sul.

Dia ou Sul

Esse espaço trabalha com a extroversão e a objetividade. Envolvem a socialização, a consideração pelo que vem de fora.

Se você tem muitos planetas acima do horizonte, vai ser bastante objetivo e querer subir na vida. O público e a sua carreira serão importantes para você.

Noite ou norte

Chega a ser simbólico o norte ser voltado para baixo, representando a noite. Quando falamos em noite, ligamos diretamente ao que é introspectivo, ao introvertido, o que é voltado para a nossa subjetividade e nosso interior.

Se tem muitos planetas abaixo do horizonte, principalmente se o Sol e a Lua estiverem aí incluídos, você vai ser um tanto subjetivo e se contentar em trabalhar nos bastidores.

Linha do meridiano

Agora iremos dividir o mapa em esquerda e direita, leste e oeste respectivamente. Para isso, a linha que liga o meio dia (casa 10) á meia noite (casa 4), irá ser chamada de meridiano. Ou seja, o traço vertical.

As casas de número 3,2,1,12,11 e 10 envolvem a parte esquerda do mapa após a linha do meridiano ficam á leste, ficam no lado nascente (afinal temos a casa 1 inserida ali), também conhecidos como o lado oriente.

No lado oriente é trabalhado uma certa independência motivacional. É a busca de cumprir com um objetivo próprio, não ligado á algo ou alguém externo. Denota uma certa liberdade na busca daquilo que deseja.

As casas de número 4, 5, 6, 7, 8 e 9 envolvem a parte direita do mapa após a linha do meridiano, sendo o oeste, o lado poente, ocidente (afinal temos a casa 7 ali no meio).

Fontes

Astrolink

A astrologia da Mãe-Terra – Marcia Starck

As plantas e os planetas – Ana Bandeira de Carvalho

Veja outros assuntos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.