Caminho da Lua Mitologias

Mitos de Dionísio

Heey minna-san!
   Hoje iremos conhecer a figura do deus grego Dinísio, que na mitologia romana é conhecido como Bacos. É o deus dos ciclos vitais, vinho, loucura, teatro, ritos religiosos e das festas. 

O nascimento de Dionísio

    Todos sabem que Zeus tinha muitos relacionamentos extraconjugais, e dentre eles havia uma mortal chamada Sêmele, que era filha do rei Cadmo. Acontece que Hera descobriu sobre a amante e ficou possessa de ciúmes, principalmente quando descobre que a moça estava grávida de Zeus. 
  Passando a se disfarçar de uma ama de leite da princesa, a deusa do casamento persuadiu Sêmele para que pedisse ao deus dos deuses que viesse até si em sua verdadeira forma, como uma divindade. 
  Mesmo avisando que nenhuma divindade deveria mostrar seu esplendor á um mortal, Zeus havia prometido que faria tudo o que a amada pedisse. Sendo assim, ele surgiu na frente dela em sua verdadeira forma acompanhado de raios e trovões.
   Um mortal não daria conta do brilho intenso de uma divindade, e a Sêmele acabou se tornando cinzas de imediato. Em outras versões é contado que o local havia pegado fogo e a jovem teria morrido queimada. 
   De qualquer forma, Zeus resgatou a criança prematura e a costurou em sua coxa para que continuasse o seu desenvolvimento até que chegasse o momento certo de nascer. Assim nasceu Dionísio.
   Em outras fontes contam que Hera ainda queria se vingar, e por isso ordenou que Titãs fossem atrás da criança e o matassem. Zeus resgatou o coração de Dionísio e o cozinhou junto com sementes de romã para que se tornasse em uma poção mágica. O deus dos deuses teria entregue tal poção para Perséfone, que engravidou e fez o semideus nascer novamente.
   O semideus é conhecido como aquele que nasceu duas vezes. A primeira teria sido da gestação natural de sua mãe Sêmele, enquanto a segunda pode se referir á Zeus. Outros desconsideram Zeus e falam que o segundo nascimento se trata da gravidez de Perséfone. 
   Uma coisa é certa, por conta de seu nascimento a partir de Zeus, Dionísio se tornou imortal.

Castigado por um Deusa

   Sabemos que Hera é uma esposa bem da ciumenta e vingativa – mesmo que seja a deusa do casamento cof cof. Então ela não ficou nem um pouco feliz em saber que Dionísio ainda estava vivo.
   Assim que nasceu, Zeus entregou o filho para Ino e seu marido Athamas, que receberiam a ajuda de ninfas e dríades para criar Dionísio. Porém, Hera teria feito Athamas enlouquecer e matar o próprio filho, Learco. Ino também foi tomada pela loucura e matou seu segundo filho, Melicertes, para então se jogar junto á ele no rio.
   Zeus interveio e entregou o filho para que as ninfas o criassem em Nisa, na Ásia. Segundo o dizem, a recompensa delas fora a transformação em estrelas que passariam a ser chamadas de Híades.
   Fora junto das ninfas e dos sátiros que ele aprendeu a como fazer vinho e conhecer os efeitos inebriantes da bebida. 
    Ainda não satisfeita, Hera tinha um novo plano, enlouquecer Dionísio. 
  Nesse meio tempo o rapaz já havia crescido entre os mortais e tinha aprendido sobre o que era alegria e o que era tristeza. Alguns falam que ele já teria começado a se esforçar para se tornar um deus. De qualquer forma, fora atingido pela loucura

O deus da loucura

   Depois de ser atingido pela loucura, Dionísio começou a vaguear pelo mundo ensinando os homens sobre o cultivo da uva e a fabricação do vinho. Chegado a um momento ele fora finalmente curado.
  Alguns falam que ele teria conhecido a deusa Cibele, que teria o permitido atravessar a Ásia, espalhando a cultura da uva. Outros falam que foi sua avó, Réia, que teria o curado da loucura, conseguindo retornar para a Grécia e retomar o seu culto. 
   Há ainda quem conte fora aí que Hera teria mandado os Titãs matarem o rapaz, sendo que Réia reuniu todos os seus pedaços e o trouxe de volta. 
   Para começar a ser cultuado como um deus, Dionísio teve de trabalhar muito. Ele tinha uma espécie de cortejo – conhecido como séquito – composto por figuras miticas como Sileno, Bacantes e Sátiros. 
  Eles acompanhavam Dionísio carregando troncos de videiras, coroas de hera, taças de vinhos, cachos de uvas. As jovens Bacantes eram tomadas pela loucura mística, Silena que era inteligente e tinha o dom da vidência, vivia embriagado. Os Sátiros tinham a representatividade da natureza vegetal e animal.
   Dizem que Dionísio castigava aqueles que se opusessem á cultuá-lo. Sua vingança era a loucura, dilacerações e transformações.

Demais aspectos de Dionísio

   Dizem que ele teria se casado com Ariadne, que havia sido abandonada por Teseu na ilha de Naxos. Com ela tiveram 4 filhos: Enopião, TOante, Estáfilo e Pepareto. Dionísio também teria tido um caso com Afrodite, tendo um filho chamado Priapo. Contam que o deus da loucura fora vítima da maldição de Hefesto.
   Também falam que Dionísio resgatou alguém do submundo. Dizem que teria sido Sêmele a pessoa resgatada, chegando ao ponto de enfrentar Tânatos para trazê-la de volta ao Monte Olimpo. Tal façanha foram poucos que conseguiram cumpri-la.
   E o fato mais importante sobre Dionísio, mesmo sendo um semideus de uma mortal, ele se juntou aos Olimpianos. Contam que ele fora o último a se juntar, e único a se filho de uma mortal.
   Também falam que Dionísio era o protetor das pessoas desajustadas na sociedade. Sempre representado por algo caótico e inesperado. Tudo o que foge da razão humana é atribuído á alguma ação feita pelos deuses.

Fontes

Mitologia Grega – Dionísio o deus do vinho
Portal dos mitos – Dionísio
Eventos mitologia grega – Dioníso ou Dionísio Baco

Veja outros assuntos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.